Documentário 'No compasso do amor' mostra rotina de músico com síndrome de down

Dudu do Cavaco tem vida retratada em curta com pré-estreia neste domingo no Cineart Ponteio

por Fernanda Machado 13/03/2016 09:55

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.

Divulgação
Dudu do Cavaco é a estrela do filme 'No compasso do amor' (foto: Divulgação)
Escola, academia, aula de música, ensaios, viagens, carnaval. Todas essas são atividades regulares do músico mineiro Dudu do Cavaco, retratadas no documentário No compasso do amor. A rotina de Dudu, muito próxima da de qualquer pessoa comum, só se difere por um pequeno detalhe: ele tem síndrome de down.

Com pré-estreia gratuita marcada para este domingo, no Cineart Ponteio, o curta No compasso do amor mostra, a partir da experiência de Dudu, que pessoas com deficiência vivem sim uma vida normal. “Muitas pessoas entram em contato com nossa família em busca de uma fórmula que estimule o desenvolvimento de seus filhos com down. E fórmula não existe. O que temos para contar com esse filme é que o amor é o estímulo, e a aceitação também”, explica Leonardo Gontijo, irmão de Dudu e criador do Instituto Mano Down, que dá assistência a pessoas com a síndrome.

Produzido pelo estúdio NaTrilha, o documentário deve percorrer circuitos universitários, além de ser exibido em palestras para pessoas com deficiência e suas famílias. “O filme sai com legendas em inglês e português, além de libras. Estamos trabalhando para colocar audiodescrição também. O curta passa uma mensagem universal, falando de amor, de música, de down, que são assuntos universais, então temos que ter sensibilidade para essas questões”, explica Márcio Brant, produtor do filme.

 

 

 

MÚSICA Prestes a lançar um disco com participações de músicos do calibre de Thiago Delegado e Aline Calixto, Dudu é reconhecido pelo seu trabalho como cavaquinista. Já tocou em diversos programas de TV e apresentou o som de seu instrumento até para Chico Buarque. Dessa forma, era de se imaginar que um filme sobre ele focasse em sua carreira como músico. Mas essa não foi a escolha da produção. “O papel do filme é levar essa possibilidade de esperança. Claro que pensamos em outros enfoques, e um deles poderia ser o da música. Mas pegamos o livro 'Mano Down – Relatos de um irmão apaixonado' e usamos como fio condutor. Recuperamos histórias da nossa família e mostramos, principalmente, que o importante para quem tem uma deficiência é sonhar”, diz Leonardo.

Depois do lançamento, a expectativa é fazer o filme circular, inclusive em festivais. “Escolhemos esse formato de curta justamente por nos possibilitar uma divulgação melhor. O documentário tem essa característica, talvez até mais que a ficção, de levantar assuntos para a discussão. E o Dudu já é um porta-voz desse assunto”, explica Márcio.

“Inclusão é a nossa bandeira. E não é incluir por incluir. É como falamos: o Dudu não é músico porque tem down. Ele toca bem e por acaso tem síndrome de down. Infelizmente hoje ele ainda é exceção. Mas sonhamos com uma sociedade que pense que não há nada mais normal do que um músico com down lançar um CD”, conclui Leonardo.

 

Pré-estreia do documentário No Compasso do Amor
Neste domingo, às 11h, no Cinearte Ponteio, Rodovia Br 356, 2500 - Santa Lucia. Entrada gratuita

VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE CINEMA