'Que horas ela volta?' fica de fora da disputa de Melhor Filme Estrangeiro

A academia divulgou nesta quinta-feira os nove filmes que foram indicados ao prêmio. Os vencedores da 88ª edição do Oscar serão anunciados no dia 14 de janeiro, no Teatro Samuel Goldwyn, em Beverly Hills, nos Estados Unidos

17/12/2015 23:22

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.

Aline Arruda/Divulgação
(foto: Aline Arruda/Divulgação)

Escolhido para representar o Brasil na disputa pelo Oscar 2016, o longa brasileiro Que horas ela volta?, da diretora Anna Muylaert, ficou fora da lista de finalistas de Melhor Filme Estrangeiro. A academia divulgou nesta quinta-feira os nove filmes que foram indicados ao prêmio. Entre eles, está o alemão Labirinto de mentiras, que estreou nessa quinta nos cinemas brasileiros.

A grande surpresa da lista foi o filme colombiano O abraço da serpente, do diretor Ciro Guerra. As apostas para a América do Sul giravam em torno do argentino O clã e o chileno O clube. Ambos ficaram de fora da premiação. Confira a lista dos finalistas:


- O belga, "The Brand New Testament", de Jaco Van Dormael;
- O colombiano, "O abraço da serpente", de Ciro Guerra;
- O dinamarquês, "A war", de Tobias Lindholm;

- O finlandês, "The Fencer", de Klaus Harö;
- O francês, "Mustang", de Deniz Gamze Ergüven;

- O alemão, "Labirinto de mentiras", de Giulio Ricciarelli;

- O húngaro, "Sons of Saul", de László Nemes;

- O irlandês, "Viva", de Paddy Breathnach;

- E o jordaniano, "Theeb", de Naji Abu Nowar.

Em setembro, Que horas ela volta? foi escolhido para representar o Brasil na disputa do Oscar. A protagonista do filme, Regina Casé usou o Instagram para comemorar. "Foi dada a largada! Que horas ela volta? acaba de ser indicado pelo Brasil para concorrer ao Oscar de filme estrangeiro! Como diz a Val, show de bola! Agora é bola pra frente", escreveu, referindo-se à personagem Val, papel que lhe coube na produção.

O papel da babá que se reencontra com a filha adolescente após 13 anos rendeu a Regina Casé o prêmio especial do júri de atuação no Festival de Sundance, maior evento de cinema independente dos Estados Unidos. A veterana dividiu o troféu com Camila Márdila, que interpreta a filha de Val no mesmo longa. 'Que horas ela volta?' ainda foi premiado no Festival de Berlim — em duas categorias da mostra Panorama —, eleito melhor filme no World Cinema Amsterdam e apontado como melhor roteiro no Festival Internacional de Cinema de RiverRun.

Os vencedores da 88ª edição do Oscar serão anunciados no dia 28 de fevereiro, no Teatro Samuel Goldwyn, em Beverly Hills, nos Estados Unidos.

O longa

Que horas ela volta? conta a história da pernambucana Val (Regina Casé), que se mudou para São Paulo a fim de dar melhores condições de vida para sua filha Jéssica. Com muito receio, ela deixou a menina no interior de Pernambuco para ser babá de Fabinho, morando integralmente na casa de seus patrões.

 

Treze anos depois, quando o menino (Michel Joelsas) vai prestar vestibular, Jéssica (Camila Márdila) pede para ir à São Paulo, no intuito de prestar a mesma prova. Os chefes de Val recebem a menina de braços abertos, só que quando ela deixa de seguir certo protocolo, circulando livremente pela casa, a situação se complica.
 
Seleção

Concorriam à vaga brasileira para a disputa outros sete filmes: 'A história da eternidade' de Camilo Cavalcante; 'Alguém qualquer', de Tristan Aronovich; 'Campo de jogo', de Eryc Rocha; 'Casa grande', de Fellipe Barbosa; 'Entrando numa roubada', de André Moraes; 'Estrada 47', de Vicente Ferraz; e 'Estranhos', de Paulo Alcântara.

A escolha do representante brasileiro foi feita por uma comissão avaliadora do Ministério da Cultura, formada pelo coordenador da Secretaria do Audiovisual do MinC Lula Oliveira, que representou o secretário do Audiovisual; o cenógrafo e produtor Marcos Flaksman; o crítico de cinema Rodrigo Fonseca; e o diretor Daniel Rodrigues.

 

Também fazem parte da banca avaliadora o chefe da Assessoria Internacional da Agência Nacional de Cinema (Ancine), Eduardo Novelli Valente; o chefe do Departamento Cultural do Ministério das Relações Exteriores, George Torquato Firmeza; e a sócia-membro da Academia Brasileira de Cinema Silvia Rabello.

Nas últimas edições, os filmes indicados ao prêmio foram 'Hoje eu quero voltar sozinho', de Daniel Ribeiro (2015); 'O som ao redor', de Kleber Mendonça Filho (2014); 'O palhaço', de Selton Mello (2013); 'Tropa de elite 2: O inimigo agora é outro', de José Padilha (2012); 'Lula, o filho do Brasil', de Fábio Barreto (2011); 'Salve geral', de Sérgio Rezende (2010).

Com Bossuet Alvim e Fernanda Machado

 

VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE CINEMA