Relembre como era o mundo quando o filme 'Chatô' começou a ser produzido

Do cinema à política, saiba o que mudou em duas décadas desde o início das gravações do longa

por Correio Braziliense 27/11/2015 11:16

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
Reprodução
(foto: Reprodução)
O filme Chatô, arquitetado e iniciado em 1994, conheceria um mundo um pouco diferente se tivesse estreado no mesmo ano ou no seguinte. Àquela época, há cerca de 20 anos, o cinema brasileiro estava se reerguendo, a internet era um bebê no país, o Brasil conhecia a nova moeda (real), a seleção tinha acabado de ser tetra e a Fórmula 1 tinha perdido Senna. Tantas coisas que, com o passar de duas décadas, já caíram um pouco no esquecimento dos brasileiros. Relembre o que aconteceu até aqui:

Cinema
Após uma época crítica no governo Collor com o fim da Embrafilme, o cinema brasileiro voltou a se erguer e ganhar espaço na indústria cultural, em meados dos anos 90. A retomada veio em pouco tempo e, em 1995, o país estreava Carlota Joaquina, Princesa do Brasil. Para as crianças, no mesmo ano, O menino maluquinho apareceu nas telinhas. E, claro, não podemos esquecer das fitas VHS, que precisavam ser rebobinadas para evitar multas na locadora.

No mundo, ainda não havia estreado filmes de sucesso como Titanic (1997) e Matrix (1999). Em 1995, Forrest Gump ganhava o Oscar como o melhor filme do ano.

Cultura
No mundo da música, Justin Bieber não pensava em nascer, Tom Jobim deixava saudade e era lançado o hit Então é Natal (aquela musiquinha que você escuta sempre nesta época do ano). Na década de 90, surgia também os tão conhecidos Mamonas Assassinas, com “Brasília Amarela” e “Mundo Animal”. Além disso, nós aprendemos a dançar “Êeee, Macarena!”. Nascia também a saga “Malhação”, que influencia adolescentes até hoje. E Chaves, que já passava no SBT há 11 anos.

Algumas notícias nesses anos não foram boas: o Brasil perdia o comediante Mussum, dos Trapalhões, e o poeta Mário Quintana. Já o mundo chorava com o falecimento de Kurt Cobain, vocalista da banda americana Nirvana.

Política
Em 1994, Luiz Inácio Lula da Silva perdia pela segunda vez as eleições presidenciais e Fernando Henrique Cardoso era o novo presidente do Brasil, com a ajuda do Plano Real, que gerava a nova moeda nacional (real). O salário mínimo era R$ 100 (acredite se quiser). O país vivia a primeira parada do orgulho gay.

No mundo, Nelson Mandela se tornava o primeiro presidente negro da África do Sul.

Tecnologia
Naquela época, o mundo conhecia o primeiro ser vivo clonado, a ovelhinha Dolly. O celular não cabia no bolso e não existia pendrive; os arquivos eram gravados em um disquete. A internet estava engatinhando e precisava ser conectada em um telefone para funcionar, e o pior: você pagava por tempo de uso (além disso, o telefone ficava mudo). Nascia também o tão famoso “PlayStation”, para a alegria dos pequenos - adultos também. E era o Windows 95 que fazia seu computador funcionar.

Esportes

No futebol, em 1994, o Brasil comemorava a vitória na Copa do Mundo, ganhando o título de tetra campeão. Na fórmula 1, os brasileiros se despediam de Ayrton Senna, que faleceu em um acidente durante uma corrida da modalidade.

Em Memória

José Lewgoy participou das primeiras gravações do filme, mas, infelizmente, faleceu em 2003, aos 84 anos. A carreira do ator foi longa e começou em 1949, com Carnaval no Fogo. Seu último trabalho foi em 2002, na novela Esperança.

O ator Walmor Chagas também não teve a oportunidade de ver o trabalho no cinema. Um dos personagens do filme Chatô, ele se suicidou em 2013, aos 82 anos.

VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE CINEMA