Filme da Netflix estreia ao mesmo tempo via streaming e nos cinemas; setor se incomoda

Donos das salas de exibição nos EUA se mostram desconfortáveis com ''mudança na indústria'' alardeada por gigante de conteúdo digital

por AFP 15/10/2015 18:24

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.

A Netflix dará nesta sexta-feira, 16, mais um passo rumo à meta de fazer as próprias regras na indústria do entretenimento, com a estreia de seu primeiro filme, tanto em "streaming" quanto nos cinemas. A plataforma online confirmou nesta quinta-feira que Beasts of no nation, filme de guerra protagonizado pelo ator inglês Idris Elba, estreará em 27 salas dos Estados Unidos.

Netflix/Divulgação
Idris Elba estrela produção que chegou a ser apontada como possível candidata ao Oscar (foto: Netflix/Divulgação)
O longa conta a história de Agu (Abraham Attah), um menino obrigado a se tornar uma criança-soldado depois que seu pai foi assassinado por uma guerrilha durante a guerra civil de um país africano. Elba dá vida ao comandante que recruta o jovem.

Beasts of no nation foi exibido nos festivais de Veneza - onde ganhou dois prêmios -, Telluride e Toronto, o que levou muitos críticos de cinema a situarem-no na corrida do Oscar. Como é de costume, o filme também estará disponível a partir desta sexta-feira para os 69 milhões de usuários que a Netflix tem em mais de 50 países.


A empresa mantém seu ritmo de expansão. Antes do fim do mês chegará a Espanha, Portugal e Itália e depois se concentrará no mercado asiático, aportando em Coreia do Sul, Hong Kong, Cingapura e Taiwan.

 

A estreia nos cinemas de Beasts of no nation, no entanto, causou mal-estar aos donos de salas de exibição. "Os donos das salas de cinema se frustram quando a Netflix faz comentários importantes sobre mudar a indústria", explicou o vice-presidente da associação norte-americana do setor, Patrick Corcoran, citado nesta quarta-feira pelo jornal The Washington Post.

"Não se pode revolucionar a indústria das salas de cinema sem incluir esta indústria", afirmou. A Netflix não fez comentários a respeito.

VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE CINEMA