Filme 'Que horas ela volta?' é o candidato brasileiro a uma vaga no Oscar 2016

Longa de Anna Muylaert é estrelado por Regina Casé, que dividiu o prêmio de Melhor Atriz em Sundance com a companheira de cena Camila Márdila

por Fernanda Machado 10/09/2015 12:13

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.

Divulgação
Camila Márdila e Regina Casé em cena de 'Que horas ela volta?' (foto: Divulgação)
Depois da ótima repercussão em festivais internacionais, o filme 'Que horas ela volta?', da diretora Anna Muylaert, foi selecionado como representante brasileiro na disputa por uma vaga na categoria de Melhor Filme em Língua Estrangeira no Oscar 2016. O longa estrelado por Regina Casé compete agora com produções de vários outros países, por uma vaga na lista final de indicados.

A produção vem trilhando uma trajetória comentada desde sua estreia, no Festival de Sundance. No evento, Regina Casé e Camila Márdila (que vivem no filme a empregada Val e sua filha Jessica, respectivamente) dividiram o prêmio de Melhor Atriz. Recentemente, o longa também se envolveu em uma polêmica durante exibição em Pernambuco, onde os cineastas Cláudio Assis e Lírio Ferreira foram acusados de machismo por interromperam a fala de Anna Muylaert durante bate-papo do público com a diretora.

 

'Que horas ela volta?' conta a história da pernambucana Val (Regina Casé), que se mudou para São Paulo a fim de dar melhores condições de vida para sua filha Jéssica. Com muito receio, ela deixou a menina no interior de Pernambuco para ser babá de Fabinho, morando integralmente na casa de seus patrões. Treze anos depois, quando o menino (Michel Joelsas) vai prestar vestibular, Jéssica (Camila Márdila) pede para ir à São Paulo, no intuito de prestar a mesma prova. Os chefes de Val recebem a menina de braços abertos, só que quando ela deixa de seguir certo protocolo, circulando livremente pela casa, a situação se complica.

 

SELEÇÃO Concorriam à vaga brasileira para a disputa outros sete filmes: 'A história da eternidade' de Camilo Cavalcante; 'Alguém qualquer', de Tristan Aronovich; 'Campo de jogo', de Eryc Rocha; 'Casa grande', de Fellipe Barbosa; 'Entrando numa roubada', de André Moraes; 'Estrada 47', de Vicente Ferraz; e 'Estranhos', de Paulo Alcântara.

A escolha do representante brasileiro foi feita por uma comissão avaliadora do Ministério da Cultura, formada pelo coordenador da Secretaria do Audiovisual do MinC Lula Oliveira, que representou o secretário do Audiovisual; o cenógrafo e produtor Marcos Flaksman; o crítico de cinema Rodrigo Fonseca; e o diretor Daniel Rodrigues. Também fazem parte da banca avaliadora o chefe da Assessoria Internacional da Agência Nacional de Cinema (Ancine), Eduardo Novelli Valente; o chefe do Departamento Cultural do Ministério das Relações Exteriores, George Torquato Firmeza; e a sócia-membro da Academia Brasileira de Cinema Silvia Rabello.

Nas últimas edições, os filmes indicados ao prêmio foram 'Hoje eu quero voltar sozinho', de Daniel Ribeiro (2015); 'O som ao redor', de Kleber Mendonça Filho (2014); 'O palhaço', de Selton Mello (2013); 'Tropa de elite 2: O inimigo agora é outro', de José Padilha (2012); 'Lula, o filho do Brasil', de Fábio Barreto (2011); 'Salve geral', de Sérgio Rezende (2010).

VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE CINEMA