'Pixels', comédia de Adam Sandler, é uma grande decepção

Clichê de Sandler e piadas sem graça marcam mais uma produção do ator. Filme teve descontentamento até mesmo da própria equipe

27/07/2015 10:20

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
SONY/DIVULGAÇÃO
Cena de 'Pixels', longa da Sony derivado do curta francês homônimo de 2010 (foto: SONY/DIVULGAÇÃO)
Em 2010, quando jogos de videogame saíram voando de uma tela de TV e invadiram Nova York no curt a francês 'Pixels', de Patrick Jean, os olhos de Hollywood brilharam. A combinação de cultura nerd, saudosismo, bons efeitos visuais e ideia original parecia boa demais para só dois minutos e meio de duração.

Cinco anos depois, com Adam Sandler no elenco e dirigido pelo rei dos “filmes família”, Chris Columbus – de 'Esqueceram de mim' (1991), 'Uma babá quase perfeita' (1993) e os dois primeiros 'Harry Potter' –, o resultado não poderia ser diferente: o longa 'Pixels', em cartaz nos cinemas, é muito ruim.

Tudo o que havia de original no curta francês acabou diluído em mais um “filme do Adam Sandler”. Seus clichês estão todos lá: do perdedor destinado a algo maior às piadas sem graça que parecem não saber quando acabar.

Além disso, o roteiro, cheio de buracos, praticamente ignora, por mais da metade do filme, um dos antagonistas, o ótimo Peter Dinklage (o Tyrion de 'Game of thrones').

Não foi por falta de aviso. Quando hackers vazaram milhares de arquivos da Sony Pictures, no final de 2014, documentos internos de 2012 revelaram enorme descontentamento de funcionários com as produções do estúdio.

“Por que continuamos atrelados a esses filmes mundanos e pouco originais do Adam Sandler?”, um deles perguntava, enquanto outro implorava à Sony que parasse de produzir “os mesmos filmes seguros e sem alma”.

Infelizmente, parece que ninguém levou as reclamações a sério. Mesmo com diretor relativamente competente e premissa divertida, 'Pixels' nunca empolga.

Os 105 minutos dedicados a exaltar o mundo dos videogames antigos seriam mais bem gastos jogando 'Pac-Man' na minúscula tela de um celular do que sofrendo diante da projeção enorme de uma sala de cinema.

VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE CINEMA