Indicados ao Emmy revelam mudança no modelo da TV dos Estados Unidos

Game of Thrones recebe indicações para 24 categorias. Mas disputa para conquistar o prêmio ainda deve ser acirrada

por Marcelo Faria 17/07/2015 11:59

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
Divulgação
(foto: Divulgação)
Concorrendo em 24 categorias, Game of thrones lidera as indicações para a edição 2015 do Emmy Awards, que foram divulgadas ontem em um evento transmitido ao vivo pela internet. Responsável por emoções fortes durante seus 10 episódios na última temporada (e reações proporcionais nas redes sociais), a série adapta o universo dos livros As crônicas de gelo e fogo, de George R.R. Martin. “Para mim, Game of thrones é favorita para o prêmio de melhor série dramática”, avaliou Newton Cannito, roteirista do seriado 9mm: São Paulo e doutor em Cinema pela Universidade de São Paulo (USP).

Apesar do número impressionante de indicações, é improvável que a série da HBO domine premiação – algo que aconteceu com a temporada final de Breaking bad, no ano passado. A disputa está bem acirrada nas categorias mais importantes: para vencer como Melhor série dramática, a saga de fantasia medieval terá que superar Downton abbey, Homeland, House of cards, Mad men, Orange is the new black e Better call soul. “Acho que a novidade aqui pode ser Better call saul, derivada de Breaking bad e talvez o primeiro spin-off a ganhar o Emmy”, considerou Pedro Grossi, jornalista e roteirista.

Entre as surpresas, a mais agradável delas é que finalmente o trabalho de Tatiana Maslany, que interpreta múltiplos personagens na série Orphan black, foi reconhecido com a indicação na categoria de Melhor Atriz em Série Dramática.

Orange is the new black, que disputou 2014 como Melhor Série de Comédia, chega em 2015 na briga pelo cobiçado prêmio de Melhor Série Dramática. A mudança de categoria não reflete exatamente um novo tom na história de Piper Chapman, que sempre transitou entre os dois extremos, mas certamente fica melhor colocada como drama do que comédia.

DOBRADINHA
E não é só Orange is the new black que está sendo levada mais a sério no Emmy de 2015. O Netflix avança com força total em sua estratégia de conteúdo de TV exclusivo e está disputando com três produções o prêmio de Melhor série dramática: além de Orange is the new black, Better call Saul e House of cards estão na briga – as três tem fortes chances de triunfar. Unbreakable Kimmy Schmidt concorre na categoria de Melhor série de comédia, ou seja, existe uma chance de uma vitória dupla do Netflix na premiação mais importante da TV norte-americana.

“Ainda acho que a HBO é a maior potência em termos de produção de conteúdo, mas a Netflix é o maior símbolo do caminho por onde a TV vai. Ele muda não só a forma de 'vender' o conteúdo como afeta na dramaturgia, porque uma história que pode ser vista toda de uma vez, sem intervalos e sem pressão por audiência tem outro ritmo e outra forma de ser contada”, explicou Pedro Grossi.

“Para mim, Netflix já é o maior. HBO é a única concorrente – mesmo sendo TV paga, trabalha na lógica. Os modelos tradicionais ficaram para trás. Essa edição do Emmy é um ponto de virada”, completou Newton Canitto, que estreia sua nova série, Unidade Básica, em setembro, no Universal Channel.

A ausência mais notável entre os indicados foi Big Bang Theory. O ator Jim Parsons, que faz o geek excêntrico Sheldon Cooper, não foi indicado pela primeira vez desde 2009. “Pode ser um sinal do esgotamento criativo de Big Bang Theory, que é um formato marcado pela repetição de tipos. Para mim, a surpresa não é ele não ter sido indicado agora, mas ter sido lembrado tantas vezes antes”, ressalta Pedro Grossi. Além do eterno Sheldon, Lena Dunham, criadora e atriz de Girls, ficou de fora pela primeira vez em três anos, tanto do prêmio de Melhor Atriz como do de Melhor Série de Comédia.

A premiação do Emmy Awards 2015 está marcada para 20 de setembro, no Microsoft Theater, em Los Angeles, nos EUA. Andy Samberg apresentará a cerimônia.

VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE CINEMA