Daniel de Oliveira protagoniza o filme 'Romance policial', de Jorge Durán

Falado em espanhol, longa conta a história de um escritor brasileiro que parte para o Chile em busca de emoções para escrever um romance

por Carolina Braga 04/06/2015 10:30

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
ELIZABETH ESCOBAR/DIVULGAÇÃO
(foto: ELIZABETH ESCOBAR/DIVULGAÇÃO)
Foi a versatilidade que o ator Daniel de Oliveira demonstrou em seus papéis no cinema e na TV que chamou a atenção do diretor Jorge Durán e lhe deu a convicção de que Antônio, o protagonista de 'Romance policial', deveria se interpretado por Oliveira. Durán afirma que, assim que rumou para o Deserto do Atacama, no Chile, e começou a filmar o longa, que estreia hoje no Brasil, teve certeza de que fez a escolha certa.

'Romance policial' é o quinto filme do experiente roteirista chileno radicado no Brasil ('Pixote: a lei do mais fraco' e 'O beijo da mulher-aranha'). “Queria fazer um thriller, e surgiu a ideia do romance policial, que tem o crime, um morto, uma investigação e um romance”, resume o diretor.

Para Durán, o novo filme é mais um exercício de gênero em sua carreira. “A tentativa foi fazer um filme de gênero, talvez não tão amarrado à ação”. É a primeira vez que o diretor, que deixou o Chile em 1973, fugindo da ditadura Pinochet, faz uma coprodução com seu país natal. Daniel de Oliveira é o único brasileiro do elenco principal, também formado pelos chilenos Daniela Ramirez, Alvaro Rudolphy e Roxana Campos.

'Romance policial', que é falado em espanhol, conta a história de um escritor brasileiro (Oliveira) que parte para o Chile em busca de emoções – e material – para escrever um romance. Na árida paisagem do Deserto do Atacama, envolve-se com uma jovem misteriosa, que o conduz a mergulhar em um enigma local.

Jorge Durán aposta em um roteiro feito em camadas. Se, por um lado, há a história cinematográfica, a narrativa literária a acompanha. O diretor aposta em longos e silenciosos planos, narrações do protagonista em off que dialogam bem com o clima de mistério da história. “Fala também sobre a memória e o processo de criação. Gosto dessas histórias sobre a decisão de um homem de tomar as rédeas de sua vida. Neste caso, no escopo de um crime”, comenta.

RIO NA MIRA

O próximo filme de Jorge Durán será um documentário sobre o Rio de Janeiro. Radicado na cidade há mais de 30 anos, o cineasta pergunta a urbanistas, arquitetos e moradores da cidade se “o Rio é uma cidade maravilhosa como diz a música”. “Conversei com gente muito interessante. Muitos apaixonados pelo Rio, outros com visão crítica e comentários mais ácidos”, conta.

VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE CINEMA