Filmes infantis se rendem à fofura e às mensagens positivas

'Cada um na sua casa', estreia desta quinta-feira no cinema, aumenta a lista de longas nos quais violência e o politicamente incorreto não têm vez

por Júlio Cavani 12/04/2015 16:59

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.

DreamWorks Animation/Divulgação
Humanos e alienígenas vivem em harmonia em 'Cada um na sua casa' (foto: DreamWorks Animation/Divulgação)
'Contatos imediatos do terceiro grau' e 'ET: O extraterrestre' estão entre os clássicos do cinema que defendem uma relação de paz entre seres humanos e alienígenas. Ambos foram dirigidos por Steven Spielberg, fundador dos estúdios Dreamworks, que retomam a mensagem pacifista interplanetária na animação 'Cada um na sua casa'.

O filme não só faz apologia da paz entre povos de planetas diferentes como também tem um oportuno equilíbrio racial, com protagonistas afro-latinos que se diferenciam da predominância branca do cinema norte-americano. Na versão original em inglês, a cantora Rihanna faz a voz de Tip, uma menina que se torna amiga de um extraterrestre. Jennifer Lopez dubla a mãe da garota. Os personagens não cantam, mas músicas das duas divas do pop são tocadas em diversas cenas.

O alienígena, chamado Ó, chega ao planeta Terra junto com todos os habitantes de seu extinto planeta, que precisam encontrar um novo lugar para viver. Tecnologicamente superiores, eles passam a habitar as cidades e enviam todos os terráqueos para uma espécie de condomínio suburbano isolado de tudo. O pequeno extraterrestre não consegue fazer amigos e é desprezado por causa de suas trapalhadas. Tip é a única que lhe dá atenção e juntos eles vivem uma jornada que pode salvar as civilizações (um gatinho também os acompanha). O filme torna-se interessante aos poucos, principalmente perto do final, quando a trama atinge desdobramentos imprevisíveis.

Apesar de ser rejeitado pelos conterrâneos, Ó é um ET ingênuo e adorável, com uma fofura que parece estar em alta no cinema infantil atual. O alien roxo muda de cor de acordo com o estado emocional e tem um ar neurótico que lembra o protagonista de 'FormiguinhaZ', de Tim Johnson, o mesmo diretor de 'Cada um na sua casa'.

Confira o trailer de 'Cada um na sua casa':



+ Futurismo nos cinemas
Cada um na sua casa é mais um exemplo que segue uma nova onda de fofurice no cinema infantil, manifestada também em outros lançamentos dos últimos meses. São filmes que transmitem mensagens de paz e perdão, onde a agressividade e a vingança são evitadas, ao contrário do que acontecia na época de desenhos animados violentos como Pica-Pau, Tom & Jerry e Popeye.

OPERAÇÃO BIG HERO
O robô inflável da animação vencedora do Oscar em 2015 recusa-se a machucar os inimigos.



CINDERELA

Além de defender a gentileza e o perdão, a nova versão do conto de fadas não tem nenhuma cena de violência física.



TINKER BELL E O MONSTRO DA TERRA DO NUNCA
No lugar de assustar, a criatura monstruosa do título parece um bicho de pelúcia e recebe ajuda das fadas.



O CONTO DA PRINCESA KAGUYA
A violência praticamente não se manifesta nas animações dos estúdios Ghibli (Ponyo), do Japão, cujo novo filme será lançado no Brasil em junho.

VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE CINEMA