Lenda do jazz, Clark Terry morre aos 94 anos e deixa legado insuperável

Músico norte-americano tocou com ícones do gênero e lançou mais de 80 álbuns como líder de banda

por Bossuet Alvim 22/02/2015 10:06

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.

ShadowCatcher/Divulgação
Com mais de 70 anos dedicados à música, Terry ainda desenvolveu carreira como educador (foto: ShadowCatcher/Divulgação)
Lenda do jazz com mais de sete décadas dedicadas à música, o norte-americano Clark Terry morreu na noite deste sábado, 21, por complicações decorrentes de diabetes. Levado à notoriedade nos anos 1940, foi destaque nas bandas que acompanhavam ícones do gênero como Count Basie, Duke Ellington e Quincy Jones. Já na década de 1960, tornou-se o primeiro artista negro a tocar na emissora norte-americana NBC, onde conduzia o grupo musical do tradicional 'The tonight show'. O hit 'Mumbles' (1964), ao lado do Oscar Peterson Trio, conferiu-lhe notoriedade pelos vocais inconfundíveis que fizeram história no bebop.

 

Confira 'Mumbles', de Clark com Oscar Peterson Trio:

 

Apontado como um dos músicos de jazz que mais gravou, Terry participou de mais de 900 sessões de estúdio até aposentar seus intrumentos, em 2004. Como frontman de suas bandas — entre as quais se destaca a Big B-A-D Band —, lançou mais de 80 álbuns. Outras centenas de discos contam com o nome do veterano nos créditos. Em 2010, Clark recebeu o Grammy Honorário pelo conjunto de sua obra, prêmio adicionado à galeria de 250 honrarias que conta com 16 doutorados honorários, a Ordem Francesa de Música e Literatura e o título de Embaixador do Jazz para os EUA no Oriente Médio e África.

 

Acervo pessoal/reprodução
'Mumbles' foi o primeiro hit pop de Clark, em 1964 (foto: Acervo pessoal/reprodução)
Educador

Em 2014, o documentário 'Keep on keepin' on' mostrou o trabalho de Clark Terry como mentor do jovem pianista cego Justin Kauflin, a quem o lendário jazzista treinou por quatro anos para uma competição internacional.

 

Nos últimos anos de sua vida, o artista mergulhou em sua paixão pela educação musical, conquistando cargos em colégios e escolas.

 

Fundou uma banda de jazz com jovens do Harlem, em Nova York, que tornou-se a semente da onda de interesse dos adolescentes pelo gênero na megalópole norte-americana.

 

Suas experiências como professor apaixonado foram estudadas e reproduzidas no ambiente acadêmico. "Ensinar jazz me permite ter um papel no processo de realizar sonhos para aspirantes a músicos", dizia Clark na abertura de seu site oficial. 

 

Clark Terry Sextet interpreta 'Pennies from heaven':

 

 

A despedida

Clark Terry foi internado no último dia 11 de fevereiro, ocasião em que sua família disponibilizou um espaço para fãs compartilharem suas histórias pessoais ligadas à obra do músico. A despedida final foi anunciada por sua esposa, Gwen, em texto publicado no Facebook. "Nosso amado Clark Terry agora participa da big band do céu, onde ele cantará e tocará com os anjos. Ele nos deixou em paz, cercado por sua família, seus alunos e amigos", anunciou a mulher.

 

Ela ressaltou ainda que "Clark conheceu e tocou com muitas pessoas maravilhosas em sua vida. Ele aproveitou ao máximo suas amizades e sua maior paixão era passar o tempo com seus alunos". Para Gwen, Terry "viverá através da bela música e da positividade que ele entregou ao mundo. Clark viverá em nossos corações para sempre".



VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE CINEMA