Cine Humberto Mauro promove mostra gratuita de filmes de terror dos anos 1970

Gênero prova seu vigor com onda de sequências, refilmagens e novas produções

por 13/02/2015 11:02

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.

Reprodução
Clássico 'O Exorcista', de 1973, será uma das atrações na abertura da mostra (foto: Reprodução)
Nesta carnavalesca sexta-feira 13, o Cine Humberto Mauro faz uma proposta diferente: levar a fantasia para a sala de cinema. Monstros, psicopatas e criaturas infernais, que fazem parte do imaginário coletivo, vão habitar, durante as próximas três semanas, a sala de projeção.

Vinte longas-metragens integram a programação da mostra O fascínio do medo: Terror anos 70, que será exibida, com entrada franca, até 5 de março. Alguns são clássicos do gênero, filmes que já foram exibidos à exaustão na TV. Será novidade para muitos, no entanto, assistir na tela grande à torcida de cabeça da garota Regan em O exorcista. Ou então ver o início da trajetória do maluco Michael Myers, de Halloween, na sala escura.

“Como gênero, o terror (ou horror) é bastante tradicional. Ele já começa nos anos 1920 com o expressionismo alemão, atravessando os 1930”, comenta Bruno Hilário, que responde interinamente pelo Cine Humberto Mauro e assina a curadoria da mostra.


Mas o terror cai em desuso nas décadas posteriores, só voltando à grande forma em meados dos anos 1960. Psicose (1960), de Alfred Hitchcock, 'O bebê de Rosemary', de Roman Polanski, e 'A noite dos mortos-vivos', de George Romero, ambos de 1968, recuperam o prestígio.

“A repercussão desses filmes acaba gerando uma atenção tanto de público quanto dos grandes estúdios, que passam a investir nas produções”, prossegue Hilário.

Com isso, os anos 1970 veem aflorar muitos filmes que se tornaram referências do gênero, alguns revistos até os dias de hoje. “O período teve produções com uma carga autoral grande, que acabou sendo diluída ao longo do tempo”, afirma o curador.

Para a abertura da mostra, foram selecionados três dos longas mais conhecidos do período: 'O despertar dos mortos' (1978), também de Romero, que pode ser visto como uma continuação de A noite dos mortos-vivos, e os já citados 'O exorcista' (1973), de William Friedkin, e 'Halloween – A noite do terror' (1978), de John Carpenter.

A seleção, no entanto, também procura fugir do óbvio. Filmes menos vistos foram selecionados, como duas realizações de 1977: o italiano 'Suspiria', de Dario Argento, e 'Eraserhead', longa de estreia de David Lynch.

Herdeiro assumido de Alfred Hitchcock (que está presente na mostra com um de seus últimos filmes, Frenesi, de 1972), Brian De Palma é o cineasta mais presente na seleção. Três de seus filmes da época – 'Irmãs diabólicas', 1973, 'Carrie, a estranha' e 'Trágica obsessão', ambos de 1976 – serão exibidos ao longo do dia 21, sábado.

“Na época, com os estúdios enfrentando grave crise, novos cineastas batem à porta e acabam conseguindo espaço para produção. As obras fazem uma reflexão sobre a cinematografia e a sociedade do período. E De Palma tem um espaço privilegiado. No horror, ele encontra maior liberdade para experimentar a linguagem cinematográfica. Acaba explorando recursos expressivos e levando essa pesquisa estética à máxima potência, como é visto em 'Carrie'”, conclui Bruno Hilário.

PRODUÇÃO EM ALTA Uma dúzia de longas do gênero terror deve chegar aos cinemas brasileiros em 2015. Um deles estreou ontem, 'A casa dos mortos', sobre a investigação da morte de pessoas que tentavam se comunicar com fantasmas. É a típica produção barata de terror, com elenco pouco conhecido e diretor idem. A estrela, no caso deste filme, é o produtor.

James Wan, diretor de 'Jogos mortais' (2004) e nome de ponta do terror em Hollywood, assina o argumento e a produção de A casa dos mortos. Não custa lembrar também que ele é o produtor por trás de 'Annabelle' (2014), um dos sucessos do horror do ano passado.

O próximo da lista é 'Renascida do inferno', que traz como protagonista uma atriz em ascensão, Olivia Wilde. Com estreia prevista para 5 de março, o filme gira em torno de um grupo de estudantes de medicina que descobre uma forma de fazer renascer pacientes mortos. Mas há estrelas de primeira grandeza se dedicando ao gênero.

Daniel ‘Harry Potter’ Radcliffe está no elenco de dois deles. 'Amaldiçoado', que já teve sua estreia no país adiada (não há nova data confirmada), conta a história de um jovem que acorda, logo depois que sua namorada é assassinada, com um par de chifres na cabeça.

Produção mais ambiciosa estrelada por Radcliffe é 'Frankenstein', nova versão para o romance de Mary Shelley. Com estreia em 1º de outubro, o filme ainda traz no elenco James McAvoy.

Marca do gênero, a sequência continua forte no cenário do terror. Franquia contemporânea, 'Atividade paranormal', agora em sua quinta sequência, será exibido no Brasil a partir de outubro.

A refilmagem, outra prática comum do terror, também dará suas caras. 'Poltergeist' (1982), clássico da época que gerou sequências e série de TV, ganha nova versão. Fenômeno oitentista, indicado a três Oscars e idealizado por Steven Spielberg, o filme sobre uma garotinha afetada por estranhos eventos depois que se muda com a família para nova casa é ainda hoje considerado um dos mais importantes do período. No novo 'Poltergeist', agora em versão 3D e com estreia para o final de julho, o elenco será encabeçado por Sam Rockwell e Rosemarie DeWitt.

“O terror é um gênero que agrada adolescentes, que são o grupo que ainda vai ao cinema. Também é uma produção mais barata, algumas quase amadorísticas, pois contam, de uma maneira geral, com atores que estão começando. E o que mais custa no cinema é ator”, afirma o professor de cinema da UFMG Luiz Nazario, autor de vários livros, entre eles, 'Da natureza dos monstros' (1999).

De acordo com Nazario, essa é uma das principais razões para que o gênero não arrefeça. Mas o professor chama a atenção para a falta de renovação. “Curioso é que é na televisão que o gênero vem sendo renovado, com séries como The walking dead e True blood, que fazem, inclusive, muita relação com a política.”

O FASCÍNIO DO MEDO: TERROR ANOS 70
Mostra no Cine Humberto Mauro, Avenida Afonso Pena, 1.537, Centro, (31) 3236-7400. Entrada franca. A mostra vai até 5 de março. Programação completa no site.


NÃO PERCA

Filme: 'Imagens', de Robert Altman' (1972)
Elenco: Susannah York, Rene Auberjonois e Marcel Bozzuffi
Sinopse: Mulher esquizofrênica confunde as identidades dos seus antigos amantes, criando uma realidade fantasiosa. Seus temores a levam a um único desejo: destruir o mundo interior que ela construiu.
Por que ver: Filme de terror psicológico, deu o prêmio de melhor atriz no Festival de Cannes a Susannah York.

Filme: 'Amargo pesadelo', de John Boorman (1972)
Elenco: Jon Voight, Burt Reynolds e Ned Beatty
Sinopse: Grupo de amigos decide descer, pela última vez, as correntezas de um rio antes que o mesmo se torne uma represa. Apesar de advertidos pelos nativos da região, ignoram os perigos existentes e partem rumo a uma arriscada aventura.
Por que ver: Representante da chamada ultra violência, é um dos primeiros filmes mainstream a mostrar o estupro de um homem, o que na época foi muito chocante
 
'The Rocky horror picture show', de Jim Sharman (1975)

Elenco: Tim Curry, Susan Sarandon e Barry Bostwick
Sinopse: Casal de noivos se vê obrigado, em virtude de um problema com o carro, a ir a um estranho castelo pedir auxílio, sem saber que ele é habitado por alienígenas do planeta Transexual.
Por que vem: Um cult do gênero, costuma ainda hoje, 40 anos depois, levar fãs ao cinema fantasiados para assisti-los. Há inclusive alguns que “dialogam” com as falas do filme
 
'Trágica Obsessão', de Brian De Palma (1976)

Elenco: Cliff Robertson, Geneviève Bujold e John Lithgow
Sinopse: Na tentativa de resgate de um sequestro, mulher e filha de um executivo de Nova Orleans são mortas. Anos depois, durante uma visita à Itália, ele se apaixonará por uma outra mulher, cuja aparência o faz lembrar da sua esposa.
Por que ver: Filme raro do diretor, traz as claras referências a Hitchcock, que De Palma aperfeiçoaria em produções posteriores como Dublê de corpo (1984)

'Eraserhead', de David Lynch (1977)

Elenco: Jack Nance, Charlotte Stewart e Allen Joseph
Sinopse: Operário se vê obrigado a se casar com antiga namorada que se diz grávida dele. O bebê nasce uma aberração, e o homem tem que criar o filho sozinho, já que é abandonado pela mulher.
Por que ver: Primeiro longa-metragem de Lynch, é uma produção pouco conhecida do cineasta. É considerado um filme de terror surrealista.

VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE CINEMA