Indicado ao Oscar, 'Leviatã' é censurado na Rússia

Candidato à estatueta de Melhor filme estrangeiro sofreu boicote em seu país de origem

por Fernanda Machado AFP 05/02/2015 20:20

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.

Divulgação
Versão russa troca impropérios dos personagens por longos silêncios; Ministro da Cultura russo classificou 'Leviatã como ''"maléfico'' e garantiu que ''não há espaço para o mal no cinema'' (foto: Divulgação)
Após vários meses de atraso e polêmica, o filme 'Leviatã', do cineasta Andrei Zviaguintsev, indicado ao Oscar de longa-metragem em língua estrangeira, finalmente estreou nesta quinta-feira na Rússia, mas em uma versão censurada. O drama, que recebeu o Globo de Ouro de filme estrangeiro e o prêmio de melhor roteiro no Festival de Cannes, tinha previsão de estreia em novembro, mas uma nova lei que proíbe palavrões nas obras com financiamento público - 30% do orçamento no caso de "Leviatã" - provocou o atraso. 

 

Confira trailer de 'Leviatã':

 

Os espectadores russos já podem assistir, em 650 salas do país, uma versão censurada do filme, na qual os momentos de impropérios dos personagens são marcados pelo silêncio.  O longa-metragem, proibido para menores de 18 anos, provocou uma forte controvérsia no país, onde o governo o acusou de prejudicar a imagem da Rússia e de falta de patriotismo.

O ministro russo da Cultura, Vladimir Medinski, autor da lei que proíbe os palavrões, atacou o diretor Zviaguintsev e sua visão da Rússia em uma entrevista ao jornal Izvestia no dia da indicação do filme ao Oscar.  "Do que ele gosta? Das estatuetas douradas e dos tapetes vermelhos, isto está claro", disse, antes de completar que "em sua carreira para o sucesso internacional, o filme é oportunista de forma desproporcional".

"Leviatã é maléfico e não há espaço para o mal no cinema", afirmou Kirill Frolov, que lidera o grupo "Associação de Especialista Ortodoxos". O porta-voz da Igreja Ortodoxa chamou o filme de "anticristão". O produtor do filme, Alexander Rodnianski, se mostrou, no entanto, surpreso com o número de salas de exibição. "Está em mais cinemas do que imaginávamos", disse.

"Leviatã", que vazou na internet antes da estreia, já foi assistido por entre três e seis milhões de pessoas. A revista cultural russa de maior prestígio, Afisha, considerou a obra "o maior filme russo da década, que provoca conversas de todos durante um mês, de ministros a trabalhadores rurais enfadados".

VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE CINEMA