Estúdios de animação apostam em novas abordagens nos desenhos

Pixar, Disney e outras empresas deixaram temas clássicos de lado

por Adriana Izel 16/12/2014 10:27

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
Divulgação
'Operação big hero': Hiro tem ajuda do robô para superar a morte do irmão (foto: Divulgação)
Esqueça aquelas histórias românticas, com a luta entre o bem e o mal e o clássico “eles viveram felizes para sempre”. Esse conceito mudou no mundo da animação, principalmente, com o surgimento da Pixar, um estúdio de animação que pertence ao grupo The Walt Disney Company, famoso por filmes como 'Toy story' e 'Os incríveis'.

No ano passado, a Disney já havia quebrado diversos paradigmas ao lançar 'Frozen: Uma aventura congelante', que segue o fluxo contrário dos clássicos do estúdio. O longa-metragem estreou em novembro nos Estados Unidos e chegou no Brasil apenas em janeiro. A história, dirigida por Chris Buck e Jennnifer Lee, fez sucesso ao mostrar a protagonista Elsa de forma mais humanizada e ao falar do amor entre irmãs, em vez do tradicional relacionamento entre casais.

O amor fraternal é o tema também do novo filme do estúdio em parceria com a Marvel, 'Operação big hero', que chega aos cinemas em 25 de dezembro. Baseado em uma história em quadrinhos de mesmo nome, o longa-metragem utiliza o universo de super-heróis para representar a afeição entre os irmãos Hiro Hamada, o protagonista da trama, e Tadashi Hamada.

“O mais interessante é que uma animação que trata do amor da família. Como o personagem principal perde o irmão, ele passa por uma fase de luto e precisa do apoio dos amigos para aprender a lidar com essa perda”, comenta o diretor Don Hall.

A trama se passa na cidade fictícia de San Frantokyo, uma mistura de San Francisco, Estados Unidos, com Tóquio, Japão, e tem como foco o jovem Hiro, que aprende a usar sua genialidade com ajuda do irmão, que acaba morrendo durante um incêndio.

Após a perda, ele precisa lidar com a dor e conta com o apoio do robô Baymax, um invento de Tadashi inicialmente programado para cuidar da saúde dos pacientes. Porém, no meio do período de luto, Hiro é surpreendido por uma vilão que rouba uma de suas ideias tecnológicas e, para enfrentá-lo, ele precisa da ajuda dos amigos de seu irmão, que formam uma trupe de super-heróis.

Assim como em 'Frozen', a trilha sonora tem tudo para ter uma boa repercussão entre os espectadores do filme. Escolhida por Henry Jackman, o nome por trás de trilhas de longas como Capitão América, grande parte das canções foram gravadas pelo grupo Fall Out Boy. Na música 'Immortals', a banda se inspirou na temática para compor a letra, que diz “tento me imaginar sem você, mas não consigo”. “A ideia de um garoto se reforçando em nome de seu irmão foi o que inspirou o título da canção”, revelou Patrick Stump, vocalista da banda, ao site oficial do Fall Out Boy.

Emoções em foco

O próximo filme da Pixar, 'Divertida mente', com previsão de estreia em julho de 2015, segue essa nova tendência e traz um tema nunca desenvolvido no mundo das animações. O longa-metragem, do diretor Pete Docter e do produtor Jonas Rivera, tem como foco os sentimentos da pequena Riley: alegria, tristeza, medo, nojo e raiva. As emoções da garota ganham vida e tentam juntas dar um rumo no dia a dia da jovem. “Riley não é a estrela. As protagonistas são suas emoções. Esse filme em particular é diferente do que estamos acostumados a produzir”, explica Jim Morris, presidente da Pixar.

Se, na infância, a garota tinha mais memórias alegres, quando ela muda de cidade, a tristeza toma conta de sua vida. Ao chegar na adolescência, ela também se transforma e se torna mais aborrecida e com mais sentimentos negativos. Os pais — e os sentimentos deles também — tentam fazer de tudo para que ela volte a ser a jovem feliz do início do filme.

A história foi inspirada na filha de Pete, que, ao completar 12 anos, mudou completamente e se transformou em uma adolescente bastante complicada. O diretor quis mostrar essa transformação comum na vida dos jovens por meio da animação. “Ela passa por várias mudanças e é isso que a gente teve a intenção de mostrar”, afirma Morris.

Batendo recordes
O sucesso de Frozen foi tão grande que o desenho se tornou a maior arrecadação da história das animações e ficou em sexto lugar no ranking de bilheterias do mundo, ao atingir US$ 1,19 bilhão. Além disso, ganhou dois prêmios Oscar (Melhor animação e Melhor canção original por Let It go) e o Globo de Ouro de Melhor animação.

» Saiba mais

Divulgação
(foto: Divulgação)
O banquete e Lava

Os curtas que serão exibidos antes das duas animações — Operação big hero e Divertida mente — também tratam de temáticas incomuns. O banquete (foto), de Patrick Osborne, que será exibido nos cinemas antes de Operação big hero, retrata o afeto de um cão e seu dono. Já Lava, de Jim Murphy, da Pixar, é um poema de amor entre dois vulcões, que têm que lidar com os desencontros.

Divulgação
(foto: Divulgação)
Meu malvado favorito

A trama desconstrói a visão popular de um vilão malvado. O protagonista Gru (o supervilão), tenta roubar a lua; no entanto, acaba sendo afetado por três meninas órfãs, que se tornam suas filhas. A produção recebeu críticas positivas sobre a história e arrecadou mais de US$ 540 milhões em bilheteria.

Divulgação
(foto: Divulgação)
Como treinar seu dragão

Ambientado em um mundo místico, a história gira em torno de Soluço, que, ao fazer amizade com o dragão Banguela, tenta convencer que sua tribo não precisa matar os dragões. O longa traz uma mensagem de tolerância entre humanos e dragões, que superam antigas desavenças.

VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE CINEMA