Filme 'A hora do pesadelo' comemora 30 anos aterrorizando gerações

Longa popularizou o personagem Freddy Krueger, que atacava suas vítimas durante os sonhos

por Filipe Falcão 24/11/2014 15:43

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
Divulgação
Personagem Freddy Krueger apavora espectadores há 3 décadas. Crédito: (foto: Divulgação)
O cineasta Wes Craven se tornou um nome conhecido no cinema de terror no começo dos anos 70 quando os seus filmes 'Quadrilha de sádicos' e 'Aniversário macabro' foram lançados e chamaram atenção de público e crítica. Mas o começo da década de 80 não foi tão generoso para ele que amargou alguns fracassos. Foi em 1984 que Craven estava pensando em qual poderia ser o seu próximo projeto quando leu uma matéria publicada no jornal LA Times.

O texto trazia a história de um grupo de três refugiados do Camboja. O fato inusitado é que os três haviam morrido depois de terem tido pesadelos. O que poderia ser mais assustador do que ser ameaçado quando se está mais vulnerável, ou seja, durante o sono?

A partir desta ideia, Craven apresentou ao mundo o filme 'A hora do pesadelo' e introduziu um dos vilões mais lembrados do cinema de terror: Fred Krueger. Curiosamente a grafia do nome mudou nas sequências, já sem o comando de Craven, que passaram a chama-lo de Freddy Krueger. E após 30 anos, é possível apontar como o monstro dos sonhos teve impacto não apenas para o gênero como para a própria indústria cinematográfica.

'A hora do pesadelo' foi realizado pela New Line Cinema, uma pequena produtora quase falida na época. O sucesso de bilheteria foi tão grande que permitiu a New Line não apenas se reerguer como apostar em Freddy como a galinha de ovos de ouro nos anos 80. E deu certo. Cada sequência tornava o personagem mais popular, o que permitiu que Freddy virasse brinquedo, tivesse uma série própria de TV, além de uma infinidade de produtos licenciados. Como consequência, a New Line consegue então chegar forte na década de 90 e se torna uma das grandes produtoras do mundo passando a realizar projetos como as trilogias 'O Senhor dos Anéis' e 'O Hobbit'.

O filme mostra um grupo de jovens que passa a ter sonhos terríveis com uma figura queimada e com uma luva com navalhas nos dedos. Ao ser morto no sonho, a pessoa morre na vida real. Freddy surge tímido neste primeiro filme, mas vai ganhando espaço nas sequências, seis no total. Parte do crédito deve ir para o ator Robert Englund, que vestiu a famosa camisa listrada em todos os filmes, incluindo no embate 'Freddy Vs Jason', que foi lançado em 2003.

Cronologicamente, Freddy surge depois de outros monstros modernos do cinema como Jason ('Sexta-feira 13'), Leatherface ('O Massacre da Serra Elétrica') ou Michael Myers ('Halloween'). Algumas das características do vilão dos sonhos é que, diferente dos seus colegas, que são mais conhecidos pela forma violenta de matar as suas vítimas, Freddy é um pouco mais sofisticado. Ao utilizar o universo onírico, é possível apresentar uma série de possibilidades tanto de estética como também de narrativa.

Um dos momentos mais lembrados por fãs é quando a cabeça e os braços de Freddy surgem de um aparelho de televisão para matar uma jovem garota. Isto tudo dava um ar pop e de certa forma até cômico ao monstro, o que fazia com que os fãs acompanhassem aos filmes não para torcer pela morte do vilão, mas para acompanhar quais seriam as formas inusitadas que ele abateria suas vítimas.

Ao completar 30 anos, o legado de Freddy parece ainda mais forte com publicações ao redor do mundo celebrando a data. Além das sequências, o filme ganhou um remake que foi lançado pela agora toda poderosa New Line. O novo filme foi produzido em 2010 e trouxe Jackie Earle Haley como o vilão, já que Englund havia anunciado que aposentaria o vilão após 'Freddy Vs Jason'. Para o futuro, a produtora já está pensando em um novo filme. Os novos e antigos fãs já estão esperando.

Confira trailer do remake de 2010 de 'A hora do pesadelo':


VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE CINEMA