Data da primeira exibição de animação no mundo ganha celebração em BH

Primeira exibição pública de imagens animadas no mundo ocorreu em 28 de outubro de1892, no Museu Grevin, em Paris; na capital data será festejada no Cine Sesc Palladium

por Walter Sebastião 28/10/2014 07:00

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.

Daniel Ferreira/Divulgação
Entre os destaques do Dia da Animação, 'Los rosales', de Daniel Ferreira, história de robôs construídos com sucata (foto: Daniel Ferreira/Divulgação)
Vai ser realizada nesta terça-feira, a partir das 18h, no Cine Sesc Palladium, mostra de curtas-metragens que apresenta panorama do cinema de animação no Brasil e no mundo. A sessão celebra, inclusive em escala internacional, data histórica comemorada desde 2002: a primeira exibição pública de imagens animadas no mundo, ocorrida em 28 de outubro de 1892, no Museu Grevin, em Paris. Na edição de 2014, segundo os organizadores, mais de 200 cidades, em todos os estados brasileiros, terão ações dedicadas à difusão do gênero hoje.


“Animação não é só arte voltada para crianças, existe também produção para adultos”, enfatiza Sávio Leite, coordenador do Dia da Animação em Belo Horizonte e diretor de eventos da Associação Brasileira de Cinema de Animação (ABCA). Reivindicação da comunidade, nesta terça, para o mineiro, é que os trabalhados realizados com essa linguagem sejam reconhecidos como cinema. “Gostaríamos que os nossos filmes fossem exibidos nos festivais de cinema, não apenas em mostras dedicadas às crianças”, explica.

“É muito importante, ainda, que as pessoas saibam que as animações têm gama enorme de estéticas”, acrescenta Sávio Leite. “Com animação podemos falar sobre problemas sociais, fazer crítica social, criar dramas, tudo de forma lúdica”, acrescenta. O cineasta avisa que o Brasil tem produção de qualidade, cujo ponto forte é a exploração da cor e do humor. Autores que merecem ser mais conhecidos, na opinião dele: Alan Siber, Arnaldo Galvão, Maurício Squarise e Wilson Lanzaretti, Marão, Victor Hugo Borges, Tânia Anaya. Todos, avisa, com filmes disponíveis no YouTube.

MINAS O estado está bem na fita quando o assunto é cinema de animação. A produção local, explica Sávio, tem sido reiteradamente convidada para mostras. Ele destaca, na programação que vai ser apresentada, 'Los rosales', de Daniel Ferreira, filmado na Itália. O cineasta foi selecionado por programas da Benetton dedicados a jovens talentos, com idade até 21 anos. “É um filme que vai dar o que falar, pois é muito bem realizado”, avisa. Daniel criou uma história de robôs cujos personagens são construídos com sucata de metal e parafusos.

É de Sávio Leite o livro 'Os subversivos', uma história da animação em Minas. A produção local, explica, remete a curso dos anos 1980 na Escola de Belas-artes da UFMG. Mas existem pioneiros da animação no estado. Como obra de Helvécio Ratton dos anos 1960. Ou comercial e filme, realizados no início do século 20, por Higino Bonfioli. Sávio é também o criador da Mostra Udigrudi de Animação (Mumia), cuja 12ª edição será realizada de 2 a 18 de dezembro.

O filme de abertura da programação do Dia da Animação é 'Até que a Sbornia nos separe', do gaúcho Otto Guerra, que se dedica à animação há mais de três décadas.

Dia Internacional da Animação
Exibição de curtas de animação. Nesta terça-feira, a partir das 18h. Cine Sesc Palladium, Avenida Augusto de Lima, 420, Centro, (31) 3214-5350. Entrada franca. Os ingressos podem ser retirados duas horas antes da sessão.

VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE CINEMA