Comédia argentina 'Relatos selvagens' explora o tema vingança

Longa de Damián Szifrón mostra o que há de primitivo em cada um de nós

por Carolina Braga 23/10/2014 07:30

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.

Warner/Divulgação
Personagem da atriz Erica Rivas no filme argentino, a noiva desconfia de traição do noivo no altar (foto: Warner/Divulgação)
Desde que o diretor argentino Damián Szifrón começou a dar forma a 'Relatos selvagens', as adesões cresceram. Só gente de peso. No elenco entrou Ricardo Darín, ator ícone do país. Na produção, o reforço veio da Espanha. Pedro Almodóvar e seu irmão Agustín entraram na parceria com a El Deseo. “Com tanta gente importante, fui vendo que o projeto funcionava, mas não imaginava essa repercussão”, confessa o cineasta de 39 anos.

 

Confira os horários das sessões

 

Em pouco mais de dois meses em cartaz, a produção atingiu a marca de 3 milhões de espectadores na Argentina. Recorde registrado no país, número superior ao vencedor do Oscar de melhor filme em língua estrangeira de 2009, 'O segredo dos seus olhos', de Juan José Campanella.

'Relatos selvagens' reúne seis narrativas independentes, que não se comunicam. O que todas têm em comum é apenas o fato de contar histórias sobre pessoas que, por motivos bastante variados, atingem os próprios limites e perdem o controle. Assistimos a rompantes contra a burocracia, a educação no trânsito, ataques de ego, vingança, suborno e, claro, ataques passionais entre marido e mulher.

Também responsável pelo roteiro, Damián conta que dividir o filme em episódios foi natural. “Achei que seria intrigante. Seria como um disco com várias canções e que fazem parte de um mesmo show”, compara. “Escrevia, depois de três semanas aparecia outra imagem e assim foi. O projeto me permitiu expressar muitas ideias e de maneira livre”, reconhece.

Promessa Ainda que esteja em início de carreira – este é o terceiro longa dirigido por Damián –, é nítido o quanto ele é seguro na condução da câmera e no desenvolvimento das tramas. Os enredos se desenrolam de tal maneira que é fácil embarcar na viagem, inclusive na falta de controle, mesmo que cada um dos episódios tenham lá suas licenças para o absurdo.

Protagonista do último episódio, a atriz Erica Rivas reconhece o quão teatral também são as situações narradas. Ela interpreta uma noiva que, em plena festa de casamento, desconfia da fidelidade do marido. “Quando li o roteiro, sabia que seria algo grande, mas não pude imaginar a envergadura que realmente alcançou”, diz a atriz.

Segundo ela, um dos méritos do filme é tratar de maneira cínica – e bem realizada – algo estranho que está se passando na sociedade. “É uma sensação da qual não se fala, não tem a ver com política ou com o social, mas com a nossa história”, completa Erica. 'Relatos selvagens' trata das máscaras cotidianas, do instinto que todo homem carrega, do que pode haver de primitivo em cada um de nós. “O filme diz muito mais coisas do que tenho consciência. Trata de elementos que são ancestrais, as capas culturais que vão se sobrepondo em nós. Há uma cota considerável de repressão no nosso dia a dia”, reflete o diretor.

VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE CINEMA