Festival Indie apresenta 63 filmes de 20 países com entrada franca em BH

Mostra de Cinema Mundial vai até dia 10 em três cinemas da capital mineira; lista de atrações inclui 28 produções estrangeiras e inéditas no Brasil

por Gracie Santos 02/09/2014 08:05

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.

Drafthouse Films/Divulgação
''Tudo o que não é Hollywood, Bollywood ou Globo Filmes e que não tem a ver com entretenimento massivo é indie'', explica a curadora Daniela Azzi; na foto, 'Nick Cave - 20.000 dias na Terra', filme de abertura (foto: Drafthouse Films/Divulgação)
Não confunda o cinema indie com o alternativo. “O primeiro é um pensamento, projeto de produção de países e cinematografias diferentes. Não é gênero e pode até ser um estado de espírito. Já o alternativo começou sendo feito entre amigos em VHS, sem recursos”, afirma Daniela Azzi, curadora e realizadora do Indie – Mostra de Cinema Mundial em parceria com Francesca Azzi e Eduardo Cerqueira.

 

"Existe tanto uma construção quanto uma linguagem no filme indie que não podem ser ignoradas", ela explica, desbancando a ideia equivocada de produção barata. "Se antes o parâmetro para a obra independente era orçamento de R$ 2 milhões, hoje pode chegar a R$ 10 milhões", avisa Daniela.

 

Confira trailer de 'Nick Cave - 20.000 dias na Terra', filme de abertura do Indie:

 

 

Essa é apenas uma das mudanças ocorridas nesse universo de criação “fora do eixo” durante os 14 anos da mostra. “O conceito se expandiu. Agora, cabem mais coisas. Tudo o que não é Hollywood, Bollywood (Índia) ou Globo Filmes e que não tem a ver com entretenimento massivo é indie”, define a curadora. Pérolas dessa realização autoral serão exibidas nos cines Belas Artes, Humberto Mauro e Sesc Palladium, de quarta-feira, 3, até o dia 10. A abertura da mostra está marcada para as 20h, com exibição de 'Nick Cave – 20.000 dias na Terra', de Iain Forsyth e Jane Pollard, mescla de documentário e ficção sobre o processo criativo do artista. Haverá outra sessão desse longa no domingo, às 21h20, no Belas 1.

Canal  Polska/divulgação
'Ida' acompanha a trajetória de Anna, noviça que descobre raízes judias antes dos votos finais (foto: Canal Polska/divulgação)
Na bagagem do Indie há nada menos que 28 filmes estrangeiros inéditos no Brasil. É o caso do aclamado longa polonês 'Ida', de Pawel Pawlikowski, que marca a volta do diretor à terra natal. Ele fez carreira na Inglaterra. “Cinematograficamente impecável, ele é belíssimo, simples e ao mesmo tempo emotivo”, analisa Daniela. O longa será exibido quinta-feira e dia 6, às 19h10, no Belas 1; e no dia 10, às 20h30, no Cine Humberto Mauro.

Na lista dos imperdíveis está 'Nick Cave – 20.000 dias na Terra', premiado no Sundance Film Festival (melhor direção e edição). “É um documentário não convencional, que parte de um depoimento e traz várias esquetes. Convidados do cantor viajam com ele como motorista, contando fatos relevantes da vida e da carreira do cultuado músico dos anos 1970”, antecipa. Daniela chama a atenção também para 'Os ausentes', do mexicano Nicolás Pereda, “obra de poucos diálogos sobre a memória” (quinta-feira, às 21h10, e dia 8, às 16h40, no Belas 1). Confira a programação completa no site oficial da mostra.

 

Assista o trailer de 'Ida', filme polonês que integra programação da mostra:

 

 

Indie/divulgação
'A história da eternidade', do pernambucano Camilo Cavalcanti, será exibido sábado (foto: Indie/divulgação)
Maratona

 

Boa-nova da 14ª edição do Indie, além do frescor das obras, é o fato de alguns filmes serem mostrados mais de uma vez. Nada mal para quem vai enfrentar a maratona de apenas uma semana. “São 63 obras de 20 países. Venha ver, arrisque-se, saia da zona de conforto”, convida Daniela Azzi, curadora da mostra. Ela garante que não há apenas produções “cabeça”, como pensam alguns: “Você vai ver filmes experimentais, mas há também os mais tranquilos”. Exemplo: 'Liahona' (domingo, às 18h30, no Belas 3), da norte-americana Talena Sanders, sobre os mormons.

A curadora destaca 'O escaravelho de ouro', de Alejo Moguillansky e Fia-Stina Sandlund, coprodução da Argentina, Dinamarca e Suécia exibida no Festival de Locarno, na Suíça. Debochado, é uma obra sobre o cinema (sexta, às 16h50, no Belas 1, e dia 9, às 19h, no Belas 2). Entre as produções nacionais estão o longa premiado em Paulínia, 'A história de eternidade', do pernambucano Camilo Cavalcanti, e o badalado 'Sinfonia da Necrópole', musical filmado em um cemitério pela paulista Juliana Rojas.

Muitos são os exemplos da diversidade do Indie. “O universo independente não é uma coisa só, tem de tudo. O importante é viver a experiência coletiva de assistir ao filme ao lado de outras pessoas e não apenas baixar o filme no computador e vê-lo em casa”, afirma Daniela Azzi.

Ela explica que não é contra as pessoas gostarem de blockbusters e filmes de mercado. “O único problema é elas não se abrirem a outras cinematografias”, diz. O objetivo do Indie é exatamente tirar o espectador dessa zona de conforto para que ele descubra novos diretores e mantenha vivo o seu interesse pelo cinema.

CONFIRA

» Quarta-feira
Belas Artes: 20h – Nick Cave – 20.000 dias na Terra, Iain Forsyth e Jane Pollard. Sujeito à lotação das salas. Ingressos serão distribuídos às 19h.

» Quinta-feira
Belas Artes 1: 14h50 – Hide and Seek, Joanna Coates; 16h40 – Garotos do leste, Robin Campillo; 19h10 – Ida, Pawel Pawlikowski; 21h10 – Os ausentes, Nicolás Pereda.

 

Belas Artes 2: 15h – She’s lost control, Anja Marquardt; 17h10 – Buzzard, Joel Potrykus; 19h20 – A princesa da França, Matias Piñeiro; 21h30 – Dias sombrios, Zhao Dayong.


Belas Artes 3: 16h30 – Curtas de Albert Serra; 18h30 – Anatomia de um clipe de papel, Ikeda Akira; 20h30 – End of the century, Jim Fields e Michael Gramaglia.


Cine Humberto Mauro: 16h – Curtas de Eugène Green; 18h – Honra dos cavaleiros, Albert Serra; 20h – A ponte das artes, Eugène Green.


Sesc Palladium: 18h – Meu homem, Kazuyoshi Kumakiri; 20h30 – The punks are alright, Douglas Crawford.

INDIE – MOSTRA DE CINEMA MUNDIAL

Aberturaquarta-feira , às 20h, no Cine Belas Artes. Em cartaz até dia 10 no Belas Artes (Sala 1: 138 lugares; Sala 2: 123 lugares; Sala 3: 76 lugares), Cine Humberto Mauro (136 lugares) e Sesc Palladium (82 lugares). Entrada franca, com distribuição de ingressos meia hora antes da sessão.

VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE CINEMA