Morto aos 63 anos, Robin Williams deixa legado de quatro décadas dedicadas à interpretação

Estrela de comédias e dramas de grande sucesso, ator foi encontrado asfixiado em sua casa na Califórnia, EUA; polícia trabalha com hipótese de suicídio

por Estado de Minas 12/08/2014 09:04

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.

O ator americano Robin Williams, um dos mais brilhantes de sua geração – premiado com um Oscar de ator coadjuvante em 1998 por Gênio indomável –, foi encontrado morto ontem em sua casa, aparentemente, depois de cometer suicídio, de acordo com informações da polícia.

 

Relembre papéis marcantes de Robin Williams

 

Em um comunicado, as autoridades de Marin County, na Califórnia, registraram que um “sujeito masculino foi declarado morto, identificado como Robin McLaurin Williams, 63 anos, residente em Tiburon, na Califórnia” e que a causa suspeita da morte seria “um suicídio por asfixia”. Os policiais foram chamados por volta das 11h55 do horário local (15h55 de Brasília). Ao chegarem no local, constataram que se tratava do artista. Segundo a nota, o ator foi declarado morto às 12h02

  Peter Kramer/Getty Images/AFP
Com seu papel de professor brilhante em 'Sociedade dos poetas mortos', de 1989, Robin Williams revelou o talento dramático do ator (foto: Peter Kramer/Getty Images/AFP)
Em 2006, Robin Williams ingressou voluntariamente em uma clínica de reabilitação para tratar o alcoolismo, depois de uma recaída após 20 anos de sobriedade. No mês passado, o ator, que já lutou contra o vício, entrou em um centro de reabilitação de Minnesota para buscar ajuda para combater a depressão. À época, seus representantes disseram que Williams não estava usando drogas ou álcool, mas tinha ido ao centro para “ajustar e focar” sua sobriedade após trabalhar por um período mais longo.

 

“É uma perda trágica e súbita. A família pede respeitosamente por privacidade durante esse tempo tão difícil”, declarou a agente Mara Buxbaum. A mulher do ator, Susan Schneider, disse ter perdido “o marido e o melhor amigo”. “O mundo perdeu um de seus artistas mais amados e um dos seres humanos mais lindos. Estou de coração totalmente partido. Esperamos que, quando lembrarem dele, o foco não seja a morte de Robin, mas os momentos de alegria que ele deu a milhões de pessoas.”

 

Comédia e drama

Nascido em 21 de julho de 1951 em Chicago, Robin McLaurin Williams ganhou, além do Oscar por 'Gênio indomável', dois prêmios Emmy, seis Globos de Ouro, dois prêmios do Screen Actors Guild e cinco Grammys. Passou pelo teatro, televisão e cinema, sempre com o mesmo estilo exuberante, que mesclava o dom para a comédia com o talento dramático. Foi ainda indicado para o Oscar por sua interpretação em 'Sociedade dos poetas mortos' e 'O pescador de ilusões'.

 

Robin Williams ficou mundialmente conhecido por seu papel em 'Bom dia, Vietnã', de 1987. Mas desde 1980, com 'Popeye', já era um rosto conhecido do púbico, com passagens de sucesso pela televisão, com destaque para o 'Richard Pryor show'  e 'Happy days'. Foi também presença marcante em shows de stand up comedy e na Broadway.  

Miramax Films/Divulgação
Robin Williams venceu o Oscar de melhor ator coadjuvante por sua atuação em 'Gênio indomável' (1996); ele também conquistou dois prêmios Emmy do Primetime, seis Globos de Ouro, dois troféus do Screen Actors Guild e cinco Grammys (foto: Miramax Films/Divulgação)
Com seu papel de professor brilhante em 'Sociedade dos poetas mortos', de 1989, Robin Williams revelou o talento dramático do ator, o que seria comprovado em outros papéis. Mas seria com comédias como 'Uma babá quase perfeita', que Robin Williams conquistaria admiradores de todas as idades por mais de 30 anos de trabalho. Era um ator que não economizava expressões e sentimentos. Em quase todos os papéis parecia querer tirar do espectador o máximo de emoção, do riso ao choro emocionado.

 

Mesmo em seus trabalhos mais dramáticos sua atuação parecia se aproximar do excesso. No entanto, conseguia grande empatia com o público pela capacidade de dar rosto humano às emoções. O comediante tinha um olhar compassivo, por vezes melancólico, que sublinhava suas atuações. Sua aparente ingenuidade o aproximava ainda mais das crianças. Percebendo o filão, Hollywood sabia escalá-lo tanto para produções francamente comerciais como para comédias mais singelas, sem esquecer dos “filmes para chorar”, como 'Patch Adams'.

 

Seu único Oscar foi para um papel dramático, o terapeuta de Matt Damon em 'Gênio indomável'. Não foi a única contradição de sua vida. Homem complexo, viveu um psicólogo maduro capaz de dar sentido à vida de seu confuso paciente e sofreu durante toda sua existência, com o vício em álcool e drogas. Fim trágico de um artista que fez tudo para espalhar alegria com sua arte.

 

Robin teve também seu reconhecido traduzido na bilheteria: os filmes em que atuou renderam o equivalente R$ 11 bilhões ao redor do mundo – sendo R$ 1 bilhão apenas por 'Uma babá quase perfeita'. Os admiradores ainda verão o ator nas telas em novos longas-metragens, já que ele estava no elenco de três filmes em fase pós-produção, entre eles 'Uma noite no museu 3'.

Universal Pictures/Divulgação
No Brasil, o ator ficou conhecido principalmente pelos filmes 'Sociedade dos poetas mortos' (1989), 'Uma babá quase perfeita' (1993), 'Jumanji' (1995), 'Patch Adams - O amor é contagioso' (1998) e outras obras de comédia e drama (foto: Universal Pictures/Divulgação)
Filmografia

Popeye (1980)
O mundo segundo Garp (1982)
Moscou em Nova York (1984)
Bom dia, Vietnã (1987)
As aventuras do Barão Munchausen (1988)
Sociedade dos poetas mortos (1989)
Um conquistador em apuros (1990)
Tempo de despertar (1990)
O pescador de ilusões (1991)
Hook, a volta do Capitão Gancho (1991)
A revolta dos brinquedos (1992)
Uma babá quase perfeita (1993)
Jumanji (1995)
Para Wong Foo, obrigado por tudo! Julie Newmar (1995)
Nove meses (1995)
A gaiola das loucas (1996)
Gênio indomável (1997)
Flubber – Uma invenção desmiolada (1997)
Desconstruindo Harry (1997)
1 dia, 2 pais (1997)
Patch Adams – O amor é contagioso (1998)
Amor além da vida (1998)
O homem bicentenário (1999)
A.I. – Inteligência artificial (2001)
Morra, Smoochy, morra (2002)
Retratos de uma obsessão (2002)
Anjo de vidro (2004)
Reflexos da amizade (2004)
A última memória (2004)
Quem é morto sempre aparece (2005)
Candidato aloprado (2006)
Uma noite no museu (2006)
Férias no trailer (2006)
Licença para casar (2007)
O som do coração (2007)
Uma noite no museu 2 (2009)

 

Absolutely Anything (2014)

Uma Noite no Museu 3 (2014)

Merry Friggin' Christmas (2014)

O Que Fazer? (2014)

O Mordomo da Casa Branca (2013)

Dr. Eddy - Progress (2012)

Happy Feet 2: O Pinguim (2011)

 

Cinco momentos

 

'Bom dia Vietnã' (1987)
Robin Williams é Adrian Cronauer, um DJ que vai para o Sudeste da Ásia para trabalhar na Rádio Saigon, operada pelo governo americano. Para se diferenciar dos tediosos locutores que o precederam, ele abre suas transmissões com um vibrante “Bom dia, Vietnã!”, tocando músicas também provocativas e divulgando observações irônicas e polêmicas. Em pouco tempo, passa a enfrentar a oposição dos militares no comando.

 

'Sociedade dos poetas mortos' (1990)
Passado em 1959, na Welton Academy, uma tradicional escola preparatória, narra o envolvimento de um ex-aluno (Robin Williams), que se torna o novo professor de literatura, com os internos na instituição. Os métodos do mestre para incentivar os alunos a pensarem por si mesmos, tendo como guia a obra de poetas libertários, criam um choque com a direção do colégio. O conflito se exacerba e leva ao um final dramático.

 

'Uma babá quase perfeita' (1993)
Conhecido por privilegiar comédias familiares, o papel mais conhecido do ator foi como a divertida sra. Doubtfire. No filme, ele interpreta um ator irresponsável, proibido de ver os filhos, que se disfarça como uma babá idosa para se aproximar das crianças. A composição da personagem, inclusive a maquiagem e figurino impagáveis, se casaram com o estilo excessivo do humor do artista. Um marco na carreira de Robin Williams.


'Gênio indomável' (1997)
O filme de Gus Van Sant aborda a relação de um jovem com seu analista em Boston. O rapaz de 20 anos (Matt Damon) que tem um passado problemático, se revela um gênio em matemática. Ao ser obrigado a fazer terapia, debocha dos analistas e se mostra arrogante com todos até encontrar um psicanalista (Robin Williams) com quem se identifica. O filme é um sensível retrato de pessoas incomuns e de como a relação com o outro pode transformar a compreensão de mundo. 

 

'Patch Adams – O amor é contagioso' (1998)
Depois de uma tentativa de suicídio e voluntariamente ser internado em um hospital psiquiátrico, Hunter “Patch” Adams descobre o dom de ajudar as pessoas por meio do bom humor. Dois anos depois, ele entra em uma universidade de medicina. Patch passa então a defender, na escola e no trabalho clínico com os pacientes, sobretudo as crianças, o uso da alegria como instrumento de cura, desafiando as convenções e os rígidos padrões da medicina tradicional.



VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE CINEMA