Festival de Gramado vai até dia 16 com produções brasileiras e estrangeiras na disputa

Helvécio Ratton participa da mostra competitiva com o filme O segredo dos diamantes

por Fernanda Machado 09/08/2014 00:13

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
Estevam Avelar/Divulgação
(foto: Estevam Avelar/Divulgação)
Recuperar a importância entre os eventos do gênero é a principal premissa da 42ª edição do Festival de Cinema de Gramado, que começou ontem e segue até o dia 16, com a exibição de 44 filmes na mostra competitiva, entre curtas e longas, nacionais e estrangeiros. O primeiro ponto a favor é, sem dúvida, a decisão de destinar R$ 275 mil para premiar os vencedores, que levarão também os tradicionais Kikitos. A ideia é de que os recursos distribuídos sejam um incentivo à produção cinematográfica no Brasil. O festival, que tem curadoria do crítico e jornalista Rubens Ewald Filho, de Marcos Santuário e da diretora e atriz argentina Eva Piwowarski, tem orçamento de R$ 3,1 milhões.

O evento tem quatro mostras em disputa: longas brasileiros (oito), longas estrangeiros (cinco), curtas nacionais (14) e curtas gaúchos (17). Todos os filmes da mostra competitiva de longas serão exibidos no telão do Palácio dos Festivais, com capacidade para acomodar 950 pessoas. Leonardo Machado, Daniela Escobar e Renata Boldrini formam o trio que comanda a apresentação. A atriz Daniela Escobar, de 45 anos, é gaúcha e tem longa trajetória no cinema e na televisão.

Pelo tapete vermelho passarão artistas com filmes em exibição, caso de Juliana Paes e Nelson Xavier, que atuam em A despedida, de Mauro Galvão. O cineasta saiu premiado da 40ª edição, em 2012, com Colegas, estrelado por um trio de atores com síndrome de Down. Protagonista do longa gaúcho Os senhores da guerra, de Tabajara Ruas, André Arteche também marca presença. Quem também deverá passar pelo festival é Daniel de Oliveira, atualmente no ar como Bruno na novela O rebu, da Rede Globo, que faz parte do elenco de A estrada 47, ao lado do colega de folhetim Júlio Andrade. Fernanda Montenegro e Paulo Betti, que atuam em Infância, de Domingos de Oliveira, também poderão dar o ar da graça, ainda que não tenham confirmado presença. São esperados o músico Alceu Valença e o ator Caco Ciocler, que este ano estreiam atrás das câmeras.

Os longas brasileiros em competição são: A despedida, de Marcelo Galvão (SP); A estrada 47, de Vicente Ferraz (RJ); A luneta do tempo (2014), de Alceu Valença (PE), que tem assistência de direção do mineiro Luiz Felipe; Esse viver ninguém me tira, de Caco Ciocler (DF); Infância, de Domingos Oliveira (RJ); Os senhores da guerra, de Tabajara Ruas (RS); Sinfonia da necrópole, de Juliana Rojas (SP); e O segredo dos diamantes (MG), de Helvécio Ratton.

Mineiros

O cineasta Helvécio Ratton já antecipou que aproveitará a exibição de O segredo dos diamantes (que chega aos cinemas em 18 de dezembro e faz sua estreia nacional neste domingo, às 19h, em Gramado) para prestar homenagem à atriz mineira Manoelita Lustosa (que morreu recentemente), em seu último trabalho. Não é a primeira vez que Ratton compete no festival. O cineasta já esteve presente com Em nome da razão (1979), A dança dos bonecos (de 1986, “muito bem recebido”) e Uma onda no ar (2002). “O evento é muito bom, a cidade respira cinema e este ano o festival foi revitalizado. Ano passado, Rubens Ewald Filho e José Wilker (curadores) já haviam feito trabalho de renovação.

Outro representante de Minas, só que na mostra competitiva de curtas, é André Amparo, conhecido artista plástico que trabalha com instalações. E Max Uber, como explica o diretor, é um filme que aproxima o cinema das artes plásticas. “O curta fala sobre o que vemos hoje na arte contemporânea, a mercantilização. Você não sabe o que é bom ou ruim, belo ou feio. Então, é sinal de que alguma coisa está estranha”, afirma.

Confira os outros concorrentes e a programação completa em www.festivaldegramado.net.

Homenagens

Exibição hors-concours do longa Isolados, de Tomas Portella, último e até então inédito trabalho de José Wilker no cinema, foi programada para a noite de abertura do festival. O ator morreu de enfarto do miocárdio, aos 67 anos, em 5 de abril. Isolados tem estreia prevista para 18 de setembro. O troféu Oscarito, um dos mais importantes e destinado a grandes nomes do cinema brasileiro, será entregue a Flávio Migliaccio. O cineasta Walter Carvalho receberá o troféu Eduardo Abelin e o ator franco-argentino Jean Pierre Noher será homenageado com o Kikito de Cristal. Já o troféu Cidade de Gramado será dado ao ator brasileiro Rodrigo Santoro.

VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE CINEMA