'Sob a pele' estreia com Scarlett Johansson no papel de alienígena

Cenas de nudez da atriz contribuem para o clima de sedução que permeia o filme

por Ana Clara Brant 15/05/2014 09:54

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
Paris Filmes/Divulgação
Scarlett Johansson brilha em uma trama ao mesmo tempo inesperada, aterradora, densa e sombria (foto: Paris Filmes/Divulgação)
Quando as fotos da atriz norte-americana Scarlett Johansson foram “hackeadas” de seu celular, em 2011, e vazaram na internet, mostrando-a nua em seu banheiro, foi o maior frisson. Até o FBI entrou no caso e chegou a identificar os responsáveis. Agora, três anos depois, para ver a beldade como ela veio ao mundo basta ir ao cinema mais perto de casa. Isso porque estreia hoje 'Sob a pele', dirigido pelo britânico Jonathan Glazer (Sexy beast e Reencarnação).

Considerada uma das mulheres mais sexys e belas do mundo, a estrela declarou durante as entrevistas de divulgação do longa-metragem que a nudez não é gratuita (inclusive há cenas de nu frontal da diva) e que tem um significado dentro da trama.


Antes mesmo do filme estrear nos Estados Unidos no início do mês, comentou-se muito a forma física de Scarlett Johansson. Alguns jornais e revistas chegaram a taxá-la de “gordinha”, por não ostentar a famosa barriga tanquinho. Puro recalque. Scarlett é apenas uma mulher normal. E ela já avisou e fez questão de enfatizar que esta será a primeira e a última vez que tira a roupa em um set.

Na produção, a atriz faz o papel da alienígena Laura, que chega à Terra e começa a percorrer estradas desertas e paisagens vazias na Escócia em busca de presas humanas. Sua principal arma é sua sexualidade voraz. Mas, ao longo do processo, ela descobre uma inesperada porção de humanidade em si mesma.

Misturando suspense, ficção científica e road movie, 'Sob a pele' é baseado no romance homônimo do escritor holandês Michel Faber. A personagem central é uma predadora dos homens que seduz. No livro, as ações acontecem cuidadosa e lentamente, até ser revelado o fato de que ela é uma alienígena à procura de espécimes adequados para serem transformados em um tipo de carne que será enviada a seu planeta natal, que passa fome. Já no filme, isso não fica totalmente explícito.

O longa-metragem tem poucas falas, há personagens que aparecem até muito e sequer abrem a boca. A própria Scarlett também é de poucas palavras. Mas, cá para nós, uma mulher como ela não precisa dizer absolutamente nada para seduzir.

Em vez de estúdios, o diretor preferiu rodar em locações reais, especialmente em Glasgow, como a floresta da sequência final, quando a trama atinge o clímax poético e é revelada a verdadeira natureza da personagem, que acaba levando o espectador de volta ao ponto de partida: a escuridão do mundo alienígena. Pelo próprio enredo, é de se esperar alguns devaneios de Glazer nessa trama que é ao mesmo tempo inesperada, aterradora, densa e sombria. Mas vale, sobretudo por Scarlett Johansson. Não por sua nudez, mas por sua atuação e seu talento.
 
Veja o trailer de 'Sob a pele':
 
 

VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE CINEMA