Filme de Scott Cooper, 'Tudo por justiça' leva para a tela a crueza da miséria humana

Zoe Saldana e Christian Bale interpretam Lena e Russell Baze, jovens marcados pela vida

por Helvécio Carlos 04/04/2014 06:00

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
Imagem Filmes/Divulgação
(foto: Imagem Filmes/Divulgação)
O título em português, 'Tudo por justiça' ('Out of the furnace'), para o segundo longa de Scott Cooper bem poderia ser outro. Mais que justiça, Russell Baze (Christian Bale) precisa é de esperança. A vida do operário não é nada fácil. Ele se desdobra em trabalho honesto para manter o pai, Rodney Baze (Bingo O’Malley), doente terminal, e o irmão, Rodney Jr. (Casey Affleck), que, depois de lutar no Iraque, volta aos Estados Unidos e não consegue emprego.


Tudo isso num cenário desolador: a periferia de uma cidade localizada em região industrial decadente no estado da Pensilvânia. Desde as primeiras cenas, Cooper mostra que não há esperança para seus personagens. São 116 minutos duros e violentos.

Se não bastasse tanta carga dramática na vida do operário, ele amarga um período na cadeia cumprindo pena pela morte de duas pessoas em um acidente. Perde também a namorada, Lena Taylor (Zoe Saldana), que fica grávida do policial Wesley Barnes (Forest Whitaker). Para completar, o pai dele morre.

Perdido, Rodney Jr., o irmão de Russell, acaba nas mãos de John Petty (Willem Dafoe), um agenciador de lutas ilegais num no circuito dominado pelo degenerado Harlan DeGroat (Woody Harrelson). A todo custo, Russell quer justiça pela memória do irmão.

Cooper faz um filme benfeito e incômodo principalmente por reproduzir na tela a miséria – não apenas econômica, mas de perspectiva de vida – cada vez mais comum em nosso dia a dia. E dela surgem personagens que, mais do que justiça, clamam por um mundo melhor.

 

Assista ao trailer de 'Tudo por justiça':


VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE CINEMA