Animação Lichtenberg promove viagem à terra no primeiro média 3D brasileiro

por Estado de Minas 22/03/2014 00:13

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.

 

Lau Caminha/Divulgação
Lichtenberg, o primeiro média-metragem brasileiro em animação 3D será exibido neste sábado (foto: Lau Caminha/Divulgação)

O cinema une sensibilidade à capacidade de conduzir o espectador a um novo mundo. Para o diretor Lau Caminha, essa é a forma de arte mais completa, pois trabalha com diversos elementos: imagem, música, artes plásticas e literatura, por exemplo. Lau usa o stop-motion – técnica que fotografa o movimento dos personagens quadro a quadro – para narrar a história de um professor alemão que passa a ser observado por alienígenas depois de concluir um mapa lunar. Lichtenberg, o primeiro média-metragem brasileiro em animação 3D, será exibido neste sábado, no Conservatório da UFMG.


“O 3D reforça a sensação de realidade que, apesar de ser construída, aproxima a pessoa da história e contribui para que o espectador entre na cena”, explica Caminha. A exibição ocorrerá no formato anaglífico: óculos filtram imagens de cores diferentes e sobrepostas, produzindo o efeito de profundidade na mente do observador.


Apesar da facilidade proporcionada por recursos digitais, o cineasta não abre mão de dar um toque orgânico a seus trabalhos. Os bonecos foram modelados a partir de pesquisas minuciosas, pois o roteiro se desenvolve na Alemanha do século 18, época em que viveu o professor Georg Christoph Lichtenberg. Baseado na radio-peça escrita pelo filósfo Walter Benjamim, o texto praticamente não foi alterado. “Ele trata de questões permanentes partindo da ideia da infelicidade humana, tema universal. Além disso, é ficção científica”, explica o diretor.


O projeto, que teve início em 2007, inspira-se em referências clássicas, como a composição de cenário e a profundidade de cena de Viagem à Lua (1902), filme pioneiro de Georges Méliès, e a direção de arte de Os primeiros homens na Lua (1964), de Nathan Juran.

 

 

LICHTENBERG
Direção: Lau Caminha. Sábado, às 20h.
Conservatório da UFMG, Avenida
Afonso Pena, 1.534, Centro.
Classificação: 10 anos. Entrada franca.



VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE CINEMA