'Ninfomaníaca - Volume 2', de Lars Von Trier, estreia no Brasil

Filme não vai ser replicado em blu-ray por razões contratuais que vedam conteúdo sexual explícito no formato

por Mariana Peixoto 13/03/2014 06:00

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
Califórnia Filmes/Divulgação
(foto: Califórnia Filmes/Divulgação)
'Ninfomaníaca – Volume 2', a parte final da saga de uma mulher madura que, por meio de lembranças que não poupam detalhes, relata sua trajetória sexual desde a infância, estreia nesta quinta-feira em todo o país. A continuação do mais recente filme do cineasta dinamarquês Lars von Trier, a despeito das cenas explícitas de sexo, sodomia e perversão, chega ao país com mais uma polêmica. A exemplo do que ocorreu em fevereiro com 'Azul é a cor mais quente', do franco-tunisiano Abdellatif Kechiche, que teve sua duplicação em blu-ray negada por empresas nacionais por causa do conteúdo adulto, 'Ninfomaníaca' também não terá sua versão nesta mídia digital. O volume 1 do filme terá somente uma versão simples (sem extras) em DVD, por empresa não informada.


“Conseguimos fazer a replicação em DVD e a data de lançamento (29 de abril) está mantida”, afirma Euzébio Munhoz Júnior, diretor da Califórnia Filmes, distribuidora no país de Von Trier. “Mas o blu-ray foi cancelado”, acrescenta ele. A negativa foi dada pela Rimo Entertainment (mais conhecida no meio como Sonopress), que produz todo o conteúdo de home vídeo para a Califórnia. “É muito simples. Temos um impedimento contratual (com outras empresas para as quais produzem conteúdo de home vídeo) para replicar conteúdo  que tenha sexo explícito. Não é a questão de homofobia ou preconceito, como muitos falaram. Isso é um negócio. Lógico que eu queria replicar, não rejeitar um pedido. Mas na hora que o departamento jurídico analisou o conteúdo, afirmou que infelizmente não poderíamos fazê-lo”, afirma Fábio Vianna, CEO da Rimo.

Munhoz Júnior acrescenta ter procurado outras duas empresas que também replicam blu-ray, Sony DADC e Videolar, mas não obteve, até agora, retorno. Ele prefere não anunciar o nome da empresa que vai fazer a produção do longa-metragem em DVD, porque o contrato ainda não foi assinado. “Não posso fornecer porque o processo está em andamento. Acho que todo o barulho causado por 'Azul é a cor mais quente' (que é distribuído pela Imovision e mostra o relacionamento de duas jovens francesas) influenciou essa história”, acrescenta Munhoz Júnior, que prevê um futuro cheio de incertezas. “Não sei como vai ser daqui pra frente. Não podemos replicar (em blu-ray) fora do país. Acabamos ficando reféns dessa situação, pois há vários produtos que têm conteúdo adulto pesado.”

Seja como for, as polêmicas que cercam a produção de Von Trier só fazem crescer sua bilheteria. Até agora, o volume 1 da história de Joe (Charlotte Gainsbourg), a mulher que é salva por Seligman (Stellan Skarsgård) depois de um espancamento, e resolve contar a ele sua trajetória de ninfomaníaca, já levou 255 mil pessoas aos cinemas brasileiros. São 100 mil ingressos a mais do que a produção anterior do cineasta, 'Melancolia' (2011) (veja quadro). “Acredito que o volume 2 terá um pouco mais de público, já que tem cenas mais fortes e a primeira parte gerou muita expectativa para a segunda”, diz Munhoz Júnior.

Somadas, as duas partes, na verdade um só filme, têm pouco mais de quatro horas de duração. A versão que está em cartaz no Brasil foi autorizada por Von Trier, mas não é a integral. Esta, sem cortes, tem cinco horas e meia de duração. Munhoz Júnior ainda não assistiu a essa versão. “Estamos aguardando ter acesso ao conteúdo para avaliar se irá para os cinemas, quem sabe numa sessão de madrugada, ou se faremos uma edição especial com box duplo”, comenta. Em DVD, é claro.

Lars von Trier no Brasil
Filme  Ingressos vendidos


Ninfomaníaca – Volume 1 (2014) - 255 mil
Melancolia (2011) - 151.975
Anticristo (2009) - 75.040
O grande chefe (2007) - 25.669
Manderlay (2005) - 37.101
Fonte: Califórnia Filmes

Em busca do prazer perdido - Crítica

Ver 'Ninfomaníaca – Volume 2' requer do espectador, obviamente, ter assistido ao volume 1 – tanto por isso o Cine Belas Artes voltou a exibir, em somente um horário, a primeira sequência. Requer também nervos de aço, pois o que no primeiro era, de tão explícito, cansativo, o segundo busca esconder. É muito mais incômodo. E superior. Espertamente, mais uma vez Von Trier engana o espectador. Volume 1 termina com um mashup dos melhores momentos do volume 2: cenas recheadas de sexo, incluindo lesbianismo, ménage à trois e S&M. Se for ao cinema com esse olhar, esqueça. Há muito menos sexo do que na sequência anterior.

A conclusão da história da ninfomaníaca Joe traz a personagem na idade adulta cortando, pouco a pouco, todos os laços com o mundo “convencional”. A mulher que na juventude fazia campeonato para ver quem transava mais perdeu, já madura, toda a sensibilidade. Arrisca absolutamente tudo para tentar recuperá-la – inclusive o próprio filho, em cena que os fãs de Von Trier vão associar facilmente com 'Anticristo' (2009).

Dividida em capítulos, a narrativa traz agora os de número 6 a 8, novamente pródigas em referências, que vão sendo apresentadas pelo ouvinte Seligman à medida que a narradora Joe as apresenta. Se antes as metáforas envolviam música erudita e pescaria, agora elas são religiosas. Joe, quando tem um orgasmo, acredita ter visto a Virgem Maria. Não, ensina Seligman, a imagem é a de Valéria Messalina, imperatriz romana também uma ninfomaníaca.

É a interpretação de Charlotte Gainsbourg – intensa, doída e fatalista – que vai mesmerizando o espectador a acompanhar o drama – dimensão muito maior do que a conseguida por Stacy Martin, que faz a jovem Joe na primeira sequência.

Duas cenas explicitam a entrega da atriz. Joe, em busca do prazer perdido, começa a se “consultar” com K. O tratamento? Cenas ininterruptas de sadomasoquismo, em que ela, amarrada, leva chibatadas até o limite do possível (ganha de presente 40, uma a mais do que Jesus Cristo, mencionará mais tarde Seligman). Em outro momento, vemos novamente Joe em ação conseguindo arrancar, de um homem emboscado, uma confissão inconfessável: pedofilia. Compungida pela entrega, Joe protagoniza uma cena de felação que choca não somente o espectador, mas o próprio personagem. A cena final é pura ironia, absolutamente coerente com a narrativa. E que vai permitir múltiplas leituras, assim como toda a filmografia do cineasta dinamarquês.

Novo dia para estreias

'Ninfomaníaca – Volume 2' não é a única novidade a chegar hoje aos cinemas de Belo Horizonte. Há também outras quatro produções inéditas nas telas: o nacional 'Alemão', a animação 'Justin e a espada da coragem', o drama 'Refém da paixão' e Need for speed – O filme, cópia descarada da franquia Velozes e furiosos, que traz como chamariz Aaron Paul, o Jesse 'Pinkman de Breaking bad'. Depois de mais de duas décadas sempre apresentando as novidades nas sextas-feiras, os cinemas brasileiros antecipam para as quintas suas estreias.

Há quase um ano, exibidores e distribuidores brasileiros tentavam chegar a um acordo, que foi anunciado pela Federação Nacional de Empresas Exibidoras de Cinema (Feneec). A intenção ao antecipar os lançamentos é fortalecer o boca a boca e aumentar o público nas quintas, um dia considerado fraco para as salas. O lançamento às quintas é prática corrente na Alemanha, Rússia, Argentina, Austrália, Peru, Bolívia e Chile.

Assista ao trailer de 'Ninfomaníaca - Volume 2':


)

VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE CINEMA