'Alemão', de José Eduardo Belmonte, leva para a tela a história da invasão da favela carioca

Atores Cauã Reymond, Antônio Fagundes, Caio Blat e Gabriel Braga Nunes estão no elenco

por Ana Clara Brant 11/03/2014 06:00

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
Paprica Fotografia
(foto: Paprica Fotografia)
Rio de Janeiro
– Um filme tem com nomes estelares como Cauã Reymond, Antônio Fagundes, Caio Blat, Gabriel Braga Nunes, Otávio Müller, Milhem Cortaz e Marcello Melo e um diretor respeitado e tarimbado como José Eduardo Belmonte, tem boa chance de dar certo. A grandeza e o talento dos atores de 'Alemão', cuja estreia nacional é quinta-feira, eram tamanhos que foi difícil reunir todo mundo na coletiva realizada ontem, num hotel na Zona Sul do Rio de Janeiro. “É um elencão. Para mim, como diretor, foi muito bonito e um aprendizado ver tão bons atores trabalhando juntos. Estão superafiados. Acho que, dos meus trabalhos, foi o que reuniu mais gente bacana. Uma das grandes forças do filme está justamente no elenco”, destaca Belmonte.


Estreando no gênero de favela-movie, o diretor paulista radicado em Brasília considerou um desafio a experiência. Ele, que tem no currículo longas como 'Se nada mais der certo' e 'Billi Pig', conta que sempre flertou com o estilo e sentia que estava na hora de fazer um projeto que abordasse o grande tema brasileiro: o abismo social. "Sem dúvida, foi um dos grandes filmes da minha vida. Pelo tema, pelo elenco, pelos parceiros como o Rodrigo (o produtor Rodrigo Teixeira), que está comigo em outro projeto, 'Gorila', que estreia neste ano ainda. Tudo isso foi um estímulo. É um longa físico e um thriller", resume.

Apesar de ter se inspirado em fatos reais, a história da invasão do Complexo do Alemão em 2010, a produção trata de cinco policiais infiltrados que são descobertos pelos traficantes 48 horas antes da invasão. A ideia partiu do produtor Rodrigo Teixeira, que lembra daquele histórico 28 de novembro de 2010 como se fosse hoje. "Foi uma coisa louca. Aquilo marcou demais não só a mim, mas o Brasil inteiro. Rodamos em apenas 18 dias e em cinco comunidades cariocas, inclusive no próprio Alemão", lembra.

Outro que recorda o episódio é o rapper MC Smith, que participa do filme e é morador do Complexo do Alemão. O artista revela que a sensação que teve foi de que estava morando em Israel. "Tinha tanto tiro, tanta bomba… Os próprios traficantes achavam que a polícia ia entrar apenas com o Bope. Só quem estava lá, como nós, os 200 mil moradores, sabemos o que se passou. A TV não mostrou nem um terço", frisa.

Cauã Reymond, que vive o traficante Playboy e pediu para fazer o vilão, também é produtor associado do filme. O ator, que já trabalhou em outras ocasiões com José Eduardo Belmonte, ressaltou o papel do diretor e dos colegas de elenco, sobretudo os moradores da comunidade. "Esse laboratório com o Smith, Sorriso, Jefferson Brazil e Micael Borges foi fundamental para compor meu personagem. Pedi para fazer o Playboy, mesmo sendo um papel menor. Espero que a gente tenha até um Alemão 2", aposta. O elenco traz ainda a revelação Mariana Nunes e Aisha Jambo.

* A repórter viajou a convite da Downtown Filmes.

Assista ao trailer do filme:


VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE CINEMA