Rodrigo Santoro está outra vez na pele de Xerxes, rei poderoso e violento, agora mais humanizado

'300: a ascensão de um império' estreia nesta sexta-feira em Belo Horizonte

por Fernanda Machado 07/03/2014 06:00

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.

Warner Bros. / Divulgação
(foto: Warner Bros. / Divulgação)
'300: a ascensão de um império', continuação do filme 300, traz Rodrigo Santoro de volta às telas internacionais. O brasileiro interpreta mais uma vez o persa Xerxes, rei poderoso e violento que parte em jornada rumo à Grécia para vingar a morte do pai. Junto dele marcha o exército liderado por sua irmã, Artemísia (Eva Green).

O grego Themistocles (Sullivan Stapleton) obriga a dupla a recuar, enquanto luta para unir seu país e resistir à ofensiva persa. Com direção de Noam Murro, a superprodução de US$ 100 milhões aposta em enredo épico, visual exuberante e cenas espetaculares.

No filme anterior, 300, dirigido por Zack Snyder, a trama se centrava nos guerreiros espartanos que enfrentaram bravamente os persas. Na nova versão, Xerxes se torna um deus-rei. Rodrigo Santoro ganhou mais espaço em cena – desta vez, sem figurino e aparatos que transformaram seu personagem em uma das imagens mais conhecidas do primeiro longa.

Confira os horários das sessões em 3D

Veja os horários das sessões em 2D

O ator brasileiro revelou ter conversado com produtores, diretores e roteiristas para sugerir a humanização de Xerxes, mas sem que isso apagasse o perfil do rei-deus cruel e manipulador em busca de poder. “É outro olhar sobre o mesmo personagem”, declarou.

Os dois longas se inspiraram no álbum de quadrinhos Xerxes, de Frank Miller. A ênfase na visualidade de impacto obrigou o elenco a enfrentar várias horas de filmagens contra um fundo verde – posteriormente, cenários e efeitos especiais foram acrescidos.

Para compor Xerxes, Santoro suportou quatro horas diárias de maquiagem, implantou piercings no rosto e teve o corpo depilado e pintado. O ator se dedicou à malhação pesada, cuidou da modulação de seu tom de voz. De acordo com ele, valeram a pena todos os sacrifícios.

 

SAIBA MAIS
Traços demolidores

Autor e desenhista de HQ norte-americano, Frank Miller (foto), de 57 anos, é reconhecido pela linguagem sombria. Seus traços são marcados pelo alto contraste, que remete a filmes noir. Já trabalhou para editoras como Gold Key, DC Comics e Marvel Comics. Recentemente, ele vem se aliando a cineastas no naipe de Robert Rodriguez e Quentin Tarantino. Sin city e 300 são vistos como cópias fiéis de suas obras em quadrinhos. Entre suas histórias estão pérolas como Demolidor, Elektra vive, O cavaleiro das trevas, Ronin, Sin city e 300.

Assista ao trailer do filme:

VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE CINEMA