Protagonizado por Murilo Rosa, 'Vazio Coração' estreia nesta sexta

Melodrama dirigido por Alberto Araújo esbarra em clichês e soluções fáceis

por Mariana Peixoto 22/11/2013 09:49

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
Califórnia Filmes/Divulgação
O ator Murilo Rosa solta a voz em variadas cenas de 'Vazio coração' (foto: Califórnia Filmes/Divulgação)
A primeira regra da música popular romântica é a chamada rima pobre: amor e dor, paixão e coração, para citar exemplos óbvios. Funciona que é uma beleza, que o digam Zezé di Camargo e Luciano a respeito de seu primeiro (e imbatível) sucesso, 'É o amor': “Que mexe com minha cabeça/ E me deixa assim/ Que faz eu pensar em você/ E esquecer de mim/ Que faz eu esquecer/ Que a vida é feita pra viver”, diz o refrão. 'Vazio coração' é como uma versão cinematográfica de hits açucarados e doloridos de rádios populares.

Confira os horários das sessões de Vazio Coração


A história escrita e dirigida por Alberto Araújo tem um desenho trágico. Astro da música, Hugo Kari (Murilo Rosa) carrega, há quatro anos, um fardo. A morte da mãe, Carolina Menezes (Patrícia Naves), que não sobreviveu a uma queda do avião emprestado pelo filho. Seu pai, o embaixador Mário Menezes (Othon Bastos) não o perdoa. Nem pela morte, nem pela carreira de músico popular. Prestes a ter o primeiro filho, Hugo quer prestar contas ao passado e fazer as pazes com o pai, que se recusa a falar com ele.

Para colorir esse melodrama, Araújo colocou os personagens em cenário mais do que hospitaleiro. Hugo e Mário se reencontram no Grande Hotel de Araxá, o histórico prédio inaugurado por Getúlio Vargas em 1944, com projeto paisagístico de Burle Marx, onde também se concentram as termas. Pai e filho, que tiveram grandes momentos ali no passado, vão ter uma conversa definitiva no local. Entre flashbacks, acompanhamos a carreira de Hugo, músico que vive o dia a dia de jatinhos, segurança particular, encontros com fãs. Há outros cenários mineiros, com passagens rápidas por Uberlândia e Patrocínio. Rosa ainda mostra seu lado cantor em várias situações.

Criar uma história simples para um público amplo não é demérito algum, que o diga o bem-sucedido '2 filhos de Francisco'. Mas 'Vazio coração' esbarra em alguns problemas graves, como a falta de cumplicidade entre Rosa (naturalista em excesso) e Bastos (sempre denso e empostado); algumas situações inverossímeis (nem mesmo Ivete Sangalo precisa andar com um segurança grudado a seu lado o tempo inteiro); e o mais grave, uma sucessão de clichês e soluções fáceis que não seguram o roteiro. Dessa maneira, nem amor com dor conseguem rimar.

Assista o trailer do filme:

VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE CINEMA