Documentário conta história de Laura

por Walter Sebastião 09/11/2013 00:13

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
Michael Kabat/divugação
Fellipe Gamarano Barbosa, diretor de Laura, conversa hoje com o público no Cine 104 (foto: Michael Kabat/divugação )

Uma imigrante argentino-brasileira frequenta, noite após noite, festas exclusivas em Nova York que celebram o glamour de estrelas de Hollywood. Mas ela vai aos eventos também para se alimentar, já que vive na dureza e mora em um quarto minúsculo, que esconde para manter sua imagem de diva. Esperta, cheia de segredos, ela se rebela (depois de topar) com a proposta de um filme sobre sua vida, inclusive enfrentando o diretor. É este o enredo do documentário Laura, em cartaz no Cine 104, primeiro longa de Fellipe Gamarano Barbosa, de 33 anos. Hoje, depois da sessão que começa às 20h30, ele conversa com o público.


“Sou da ficção. O documentário foi um aventura dura, traumática, desgastante e espero não fazer outro tão cedo”, garante Fellipe Barbosa, contando que foi ameaçado de todas as maneiras. Na origem dos conflitos, explica, estiveram divergências entre ele e a personagem sobre como deveria ser o filme. O que obrigou o diretor a entrar em cena. “Filmamos como um reality show e, durante a montagem, construímos uma história”, observa. O foco é a relação da dupla, sem muita preocupação com cronologia. O filme está circulando por festivais. Ganhou prêmio de Melhor Documentário no Hamptons International Film Festival, em Nova York.

Na tela está o que o diretor chama de dramaturgia do real: “É uma tentativa de criar uma representação verdadeira, autêntica dos eventos, a partir da observação das coisas, inspirada em fatos ou pessoas que conheço”. Atitude presente também nos curtas dele. Caso do que mostra um dia na vida de um curador de cinema e outro sobre uma pessoa que, depois do filme, tornou-se ator. E estará presente nos novos projetos, duas ficções: um longa, Gabriel e a montanha, ficção sobre o economista que morreu durante escalada na África, amigo do diretor; outra cujos cenários são a casa e a escola onde ele viveu e estudou.

VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE CINEMA