Cao Guimarães e Marcelo Gomes levam prêmio de melhor direção no Festival do Rio

Longa 'O homem das multidões ' tem Belo Horizonte como cenário

por Gracie Santos 12/10/2013 06:00

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
Juarez Rodrigues/EM/D.A Press
Cao Guimarães e Marcelo Gomes celebram parceria na direção (foto: Juarez Rodrigues/EM/D.A Press)
Ao mesmo tempo em que tinha pré-estreia em BH na 7ª CineBH – Mostra de Cinema de Belo Horizonte, na noite de quinta-feira, 'O homem das multidões', de Cao Guimarães e Marcelo Gomes, recebia o prêmio de melhor direção no Festival do Rio. O longa, que tem a capital mineira como cenário (fato raro na produção nacional), conta a história dos metroviários Juvenal (Paulo André) e Margô (Silvia Lourenço), ambos em interpretação precisa, o que, independentemente da qualidade dos atores, denota também a presença afinada dos diretores. Feliz com o prêmio, Cao Guimarães diz que “o filme todo teve uma coisa precisa de conjunto. Eu e Marcelo temos um trabalho muito autoral, que parece ter dado certo a quatro mãos”. O diretor mineiro confessa que nunca espera por um prêmio, “se tiver que vir, que venha!”. E concorda que a opção pelo formato de exibição na proporção 1x1 evidencia closes, destacando o trabalho dos atores, a direção e a edição.

Marcelo Gomes explica que o formato “parece inspirado nas antigas polaroides, mas é também uma imagem contemporânea de como olhar para o mundo. Porque é como se fosse a tela de um iPhone ou uma fotografia no Instagram. Então, O homem das multidões é o primeiro filme em formato polaroide e em formato Instagram, ao mesmo tempo. E nesse formato quadrado, no qual cabem poucas pessoas dentro do quadro, você já se sente no meio de muita gente imediatamente. Como a profundidade de campo aumenta, o personagem parece sempre mais solitário.” O filme, que tem a solidão como tema, é livremente inspirado em conto homônimo de Edgar Allan Poe.

TROFÉUS Pela primeira vez, o Festival do Rio teve dois vencedores dividindo o prêmio de melhor filme: De menor, de Caru Alves de Souza, e O lobo atrás da porta, de Fernando Coimbra. Tatuagem, de Hilton Lacerda (que será exibido quinta-feira, às 21h15, no Cine Humberto Mauro, na Mostra CineBH), levou cinco troféus. Veja o resultado completo no www.festivaldorio.com.br.

VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE CINEMA