Programa Cine escola pretende estimular o pensamento crítico dos jovens por meio da arte

Entre as atividades que serão desenvolvidas está uma oficina audiovisual, workshops-palestra e cineclube

por Estado de Minas 27/08/2013 08:05

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
TV Globo/ Divulgação
A diretora Laís Bodanzky está a frente do projeto Cine escola (foto: TV Globo/ Divulgação)

Além de conquistar o público com os filmes 'Bicho de sete cabeças', 'Chega de saudade' e 'As melhores coisas do mundo', a diretora Laís Bodanzky e o roteirista Luiz Bolognesi querem fazer do cinema instrumento de cidadania. O casal está à frente do projeto Cine escola, que chegou esta semana a Minas Gerais.


Até o fim da semana, alunos da Escola Municipal Dom José de Haas, em Padre Paraíso, no Vale do Jequitinhonha, participarão de oficinas de audiovisual e workshops. A proposta é estimular a garotada a criar suas próprias histórias, que serão exibidas para a comunidade.

Luiz Bolognesi e Laís Bodanzky trabalham em parceria com a produtora Ouroboros, coordenada pelas educadoras Moira Toledo e Marina Santonieri, empenhadas em estimular o pensamento crítico dos jovens por meio da arte.

As atividades se dividem em oficina audiovisual, workshop-palestra e cineclube. Os estudantes conhecerão a história do cinema, aprenderão a produzir curtas-metragens e entrarão em contato com técnicas de animação e live action.

As equipes produzirão três filmes, que ficarão em cartaz na escola. Será montado cineclube para exibir 30 sessões de curtas. Detalhe: encerrada a primeira etapa do projeto, os participantes continuarão em contato com o Cine escola por meio do programa TelaBr.

VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE CINEMA