'Instrumentos mortais' chega aos cinemas e promete ser a próxima febre adolescente

Longa que estreia nesta sexta-feira, repete a fórmula: é adaptação de livro que mistura romance e fantasia

por Karoline Rodrigues 20/08/2013 13:05

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
Paris Filmes / Divulgação
'Instrumentos mortais' adapta de obra da escritora americana Cassandra Clare, dividida em seis volumes (foto: Paris Filmes / Divulgação)
Misturar fantasia e uma pitada de romance é um prato cheio para atrair leitores adolescentes. Baseado na obra de mesmo nome de Cassandra Clare, o primeiro filme da série 'Instrumentos mortais - Cidade dos ossos' segue a dita receita e reúne um triângulo amoroso e uma guerra entre seres fantásticos. A adaptação cinematográfica da fanfic (ou versão de fã, nesse caso, baseada em 'O senhor dos anéis' e 'Harry Potter') virou bestseller no mundo, foi dirigida por Harald Zwart e chega às telas do cinema nesta sexta-feira.

Clarissa Fray (Lily Collins) é uma garota que presencia um suposto assassinato dentro da boate Pandemônio e descobre que, além dela, ninguém mais viu o que aconteceu. O assassinato esconde um segredo: Jace Wayland (Jamie Campbell Bower) e seus companheiros, Alec (Kevin Zegers) e Isabelle (Jemima West), são Caçadores de Sombra, seres cujo propósito é eliminar demônios, vampiros, lobisomens e habitantes do submundo. E, para eles, Clarissa não passa de uma “mundana”.

Em um roteiro que modificou acontecimentos e comportamentos de personagens, os atores Lily Collins ('Espelho, espelho meu') e Jamie Campbell Bower ('Lua nova') protagonizam cenas piegas e causam um certo constrangimento ao telespectador. O desconforto aumenta quando o casal fecha o triângulo com a atuação do jovem Robert Sheehan, que encarna o nerd apaixonado não correspondido, Simon. Ao lado deles, Valentim (Jonathan Rhys Meyers, de 'Paris, eu te amo') vive um vilão típico de novela mexicana e não convence. Ao contrário do livro, ele é descontrolado e grita ao pronunciar qualquer palavra, além de não exalar qualquer elegância descrita pela autora.

Por outro lado, os efeitos especiais e a participação de Lena Headey (a rainha Cersei em 'Game of Thrones') dá a produção um ar de credibilidade, apesar do pouco tempo de tela. Lena interpreta Jocelyn Fray, mãe de Clary e Caçadora de Sombras que desaparece logo nos primeiros momentos do filme. Bem semelhante à história de Cassandra.

Marcado por uma trilha sonora que entrava em momentos errados, tornando a cena excessivamente artificial, a roteirista Jessica Postigo ousou colocar 'Heart by heart', da cantora Demi Lovato, em uma cena romântica. A atitude agradou os fãs da cantora e da saga, mas não combinou com o restante das composições, exclusivamente instrumentais. A série de seis livros da autora já teve cinco volumes publicados no Brasil. 'Instrumentos mortais - Cidade das cinzas', próxima obra a ser adaptada para o cinema, está prevista para o ano que vem.

Nas páginas - Cassandra Clare cria um mundo cheio de lobisomens, vampiros, demônios e Caçadores de Sombras, seres encarregados de matar todos as criaturas do submundo. Clarissa uma adolescente de 16 anos, mais conhecida como Clary descobre que nem tudo que ela acreditava é real. Por trás da cidade de Nova York, ela começa a enxergar o mundo que a mãe dela tentou esconder durante todos esses anos. Daí por diante, ela vai enfrentar coisas que ela nem sonhava que existiam.

Assista ao trailer de 'Instrumentos mortais - Cidades dos ossos':


VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE CINEMA