Festival de Gramado entra na reta final e terá cerimônia de encerramento neste sábado

Entre os destaques, o longa pernambucano 'Tatuagem'

por Carolina Braga 16/08/2013 00:13

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
Divulgação/Festival de Cinema de Gramado
Cena de 'Até que a Sbórnia nos separe' (foto: Divulgação/Festival de Cinema de Gramado)
Gramado - O Festival de Gramado se aproxima da reta final e, até agora, pelo menos nos bastidores, Tatuagem, do pernambucano Hilton Lacerda, sai na dianteira como o longa mais ousado desta edição. Dentro da variedade proposta para 2013, a animação Até que a Sbórnia nos separe foi exibido na noite de quarta-feira para plateia aparentemente entusiasmada, mas que não convenceu tanto o diretor Otto Guerra. “Achei que seria mais engraçado”, confessou.

O projeto dele em parceria com Ennio Torresan Jr. demorou oito anos para ficar pronto. Em meio à equipe majoritariamente do Rio Grande do Sul, Fernanda Takai fez estreia em longas-metragens emprestando a voz à mocinha da história.

Até que a Sbórnia nos separe é inspirado no espetáculo Tangos & tragédias, criado em Porto Alegre em 1984 por Hique Gomez e Nico Nicolaiewsky, que dublam os protagonistas. Sobra muita ironia na trama sobre a queda do muro que separa a ilha da Sbórnia do resto do mundo. Ao usar a linguagem da animação, o longa inteligentemente morde e assopra.

Críticas são disparadas à perda de identidade no mundo moderno, avanços do capitalismo e até mesmo à exploração desenfreada do meio ambiente. “É um filme mais sério do que eu pensava. A gente queria fazer algo mais comercial, mas ficou sofisticado demais. É aquela coisa de rir da gente mesmo”, comentou o diretor.

Cleiton Thiele/PressPhoto
Fernanda Takai dubla a personagem central da animação 'Até que a Sbórnia nos separe' (foto: Cleiton Thiele/PressPhoto)
Sutilezas

Também em competição, Os amigos, de Lina Chamie (SP), tem pegada totalmente diferente. O filme, protagonizado por Marco Ricca – que também trabalhou com a diretora em A via láctea (2007) –, é um olhar sutil sobre amadurecimento, amizade e amor. “A amizade, às vezes, é menos glamourosa do que um amor, mas é uma força que aguenta muita coisa”, disse Lina Chamie.

O filme dela não traz ousadias ao contar a trajetória desse homem de meia-idade que se vê imerso nas memórias de infância em busca de uma guinada no presente. "Acho o roteiro simples. É um dia na vida daquele cara, são coisas banais", explica a diretora. Também no elenco, Dira Paes, Fernando Alves Pinto e Rodrigo Lombardi.

Segundo Lina, a ideia inicial partiu de um poema de João Cabral de Melo Neto sobre um arquiteto. “Na poesia, à medida que o tempo passa a pessoa vai se fechando. Manter as portas abertas é um desafio constante”, completa Lina. Como é característico na trajetória da diretora, Os amigos carrega outras referências, que vão desde mitologia a James Joyce.

Esta sexta será o último dia de exibições na mostra competitiva em Gramado. A estreia nacional desta noite será A coleção invisível, de Bernard Attal, o último trabalho feito pelo ator gaúcho Walmor Chagas, que morreu em janeiro.

Homenagens

Todo dia tem homenagens em Gramado. Este ano, depois de Glória Pires e Wagner Moura, nesta sexta será a vez de Othon Bastos subir ao palco do Palácio dos Festivais. Ele receberá o Kikito de Cristal pela sua trajetória. Prestes a completar 15 anos em 18 de setembro, o Canal Brasil foi homenageado em Gramado com o Troféu Eduardo Abelin, na noite de quarta. Ao receber o prêmio, Paulo Mendonça, diretor do canal, lembrou a exibição inaugural de Sonho sem fim, de Lauro Escorel Filho. “O sonho para todos nós continua sem fim”, disse, antes dos aplausos.

Saiba mais: Ao vivo

O Canal Brasil vai transmitir o encerramento da 41ª edição do Festival de Cinema de Gramado, neste sábado, a partir das 20h45, direto do Palácio dos Festivais, em Gramado, no Rio Grande do Sul. Além da exibição na TV, a cerimônia estará disponível simultaneamente no site do canal: www.canalbrasil.com.br. Na cobertura, a emissora usará cinco câmeras e equipe de mais de 30 profissionais. A direção geral da transmissão é de Hilda Haubert. A jornalista Simone Zuccolotto será responsável pela apresentação, ao lado dos críticos de cinema e comentaristas Roger Lerina e Luiz Zanin Oricchio. Entrevistas com cineastas e personalidades ficarão a cargo da repórter Sara Bodowsky.

*A repórter viajou a convite do Festival de Cinema de Gramado.

VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE CINEMA