'A memória do que me contam' tem elementos autobiográficos associados à história brasileira

Simone Spoladore interpreta Ana, mulher que representa a luta de uma geração pela democracia

por Carolina Braga 09/08/2013 06:00

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
Daniel Bustamante/Divulgação
Simone Spoladore como Ana (foto: Daniel Bustamante/Divulgação)
A diretora Lúcia Murat diz fazer parte de uma geração com necessidade muito grande de fala. Por isso, há anos a cineasta dava asas aos planos de fazer um filme que se desenrolasse como um grande bate-papo. A realização dessa ideia tomou um balde de água fria quando o canadense Denys Arcand arrasou com o premiado 'As invasões bárbaras', sobre um grupo de amigos que se reúne depois da doença de um deles. O tempo passou e a vez de Lúcia chegou.

Confira os horários das sessões


'A memória que me contam' responde, de certo modo, àquele desejo antigo e também avança na proposta de linguagem. O longa carrega elementos autobiográficos da diretora e reflete sobre um período importante da história do Brasil, deixando o devido espaço para que a ficção se misture à realidade. Ou melhor, à memória.

A história da amizade entre Lúcia Murat, Vera Magalhães e os demais companheiros de luta no período de ditadura conduz a trama. No filme, Simone Spoladore é Ana, figura que simboliza a memória do que Vera representou para os amigos. Irene Ravache interpreta o alter-ego de Lúcia Murat. Completam o elenco, Franco Nero, Otávio Augusto, Zecarlos Machado e Michel Thiré. Falecida em 2007, Vera tinha o dom especial de reunir a turma para uma boa conversa, inclusive nos momentos em que esteve hospitalizada. O filme retrata exatamente um desses encontros.

'A memória que me contam' é o retrato de uma geração amadurecida, que foi torturada, lutou pela democracia e hoje está no poder. Como é próprio dos mais experientes, o longa traz um olhar distanciado daquele período e por isso mesmo menos condescendente com ambos os lados. Há uma desmitificação generalizada.

O longa estreou no 45º Festival de Brasília e também foi exibido na Mostra de Cinema de Tiradentes.

Assista ao trailer do filme:


VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE CINEMA