Filmes de autor têm presença forte na 41ª edição do Festival de Gramado

Evento homenageia Glória Pires, Wagner Moura e Othon Bastos

por Carolina Braga 09/08/2013 06:00

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
Lisa Graham/Divulgação
Flores raras, de Bruno Barreto, com Glória Pires e Miranda Otto, estreia hoje na abertura do festival (foto: Lisa Graham/Divulgação)
Glória Pires será a grande estrela da abertura do 41º Festival de Gramado. Além da estreia nacional de Flores raras, longa dirigido por Bruno Barreto que a atriz protagoniza ao lado de Miranda Otto, receberá hoje o Troféu Oscarito, dedicado aos intérpretes do cinema nacional. Considerado um dos eventos audiovisuais mais tradicionais do calendário brasileiro, o Festival de Gramado vai até o dia 17.

Além de Glória, os atores Wagner Moura e Othon Bastos serão homenageados. Pelo segundo ano consecutivo, a curadoria assinada por José Wilker, Rubens Ewald Filho e pelo crítico gaúcho Marcos Santuario aposta em uma grade competitiva que alie trabalhos de diretores e veteranos na disputa pelo Kikito. “Procuramos escolher uma seleção de gêneros e origens diferentes, embora confesse que isso não foi o primordial. O importante era a qualidade, a criatividade”, resumiu Rubens.

Serão oito longas nacionais em competição e outros seis representantes de língua latina. Na lista brasileira, identificamos uma amostra bastante variada. Temos trabalhos de estreantes no formato de longa-metragem (Bruta flor do querer, de Andradina Azevedo e Dida Andrade; A coleção invisível, de Bernard Attal; e Tatuagem, de Hilton Lacerda), animação (Até que a Sbórnia nos separe, de Otto Guerra e Ennio Torresan Jr.), diretores reconhecidos no circuito autoral (Éden, de Bruno Safadi; Os amigos, de Lina Chamie), além de veteranos (Primeiro dia de um ano qualquer, de Domingos de Oliveira; e Revelando Sebastião Salgado, de Betse de Paula).

“É possível ver a presença forte do cinema de autor, que festivais devem prestigiar, mas não são apenas eles. Com frequência, filmes talentosos depois morrem, e quando conseguem salas têm apenas alguns dias para ser exibidos. Talvez encontrem espaço em cineclubes... Pensando bem, acho que todos têm força, garra, vivacidade, um empenho que raramente víamos antes nos filmes de festival”, comenta Rubens.

Curtas

Minas Gerais marca presença na seleção de curtas. Entre os 35 trabalhos em competição estão Pouco mais de um mês, de André Novaes; Merda!, de Gilberto Scarpa; e Sanã, de Marcos Pimentel. Os dois primeiros serão exibidos amanhã à noite no palácio do festival. O trabalho de Marcos abrirá a noite de terça-feira.

Para o curador, o 41º Festival de Gramado será um retrato da produção do país. “Falando da safra, acho que ela é boa e interessante. Gosto muito de todos os selecionados, mas tenho meus preferidos, que não é para contar agora. Tomara que a gente continue a crescer, assim como o cinema brasileiro, para que possamos absorver esse tipo de produto”, conclui Rubens Ewald Filho.

Programação

» Sexta
17h – Cerimônia de abertura na Rua Coberta
19h – Homenagem Especial: Entrega do Troféu Oscarito para Glória Pires
Exibição de Flores Raras, de Bruno Barreto

» Sábado
19h – Mostra Competitiva Curtas Nacionais: Pouco mais de um mês, de André de Novais Oliveira;
Mostra Competitiva Longas Estrangeiros: Puerta de hierro, de Dieguillo Fernández e Víctor Laplace
21h30 – Entrega do Troféu Cidade de Gramado para Wagner Moura
Mostra Competitiva Curtas Nacionais: Merda!, de Gilberto Scarpa
Mostra Competitiva Longas Brasileiros: Éden, de Bruno Safadi

» Domingo
19h – Mostra Competitiva Curtas Nacionais: A navalha do avô, de Pedro Jorge
Mostra Competitiva Longas Brasileiros: El padre de gardel, de Ricardo Casas
21h30 – Mostra Competitiva Curtas Brasileiros: Arapuca, de Hélio Villela Nunes
Mostra Competitiva Longas Brasileiros: Tatuagem, de Hilton Lacerda

VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE CINEMA