Nova aventura dos Smurfs chega à telona no finalzinho das férias escolares, mas brigando pela bilheteria

Longa-metragem de animação tem história ambientada em Paris

por Sérgio Rodrigo Reis 02/08/2013 06:00

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
EspaçoZ/ Divulgação
(foto: EspaçoZ/ Divulgação)
A regra que prevalece na maioria das seqüências do cinema, com a perda de qualidade e a consequente queda de interesse, felizmente não vale para o novo filme dos Smurfs. O longa-metragem de animação, que entra hoje no circuito comercial brasileiro, chega cercado de cuidados de produção e com uma história renovada, desta vez ambientada na Paris contemporânea, com seus belos cartões-postais.


Em Os smurfs 2, o mago malvado Gargamel acaba de criar criaturas travessas batizadas de Danadinhos, com as quais quer capturar a essência mágica das criaturinhas azuis. De posse dela, planeja ter poderes suficientes para se tornar invencível. O problema é que somente a Smurfette conhece os segredos. Diante da situação, Gargamel decide raptá-la e levá-la de sua aldeia mágica para a capital francesa, onde acaba de conquistar a simpatia de todos com apresentação de feitiços.

Viva Paris Obsessivo pelo poder, Gargamel não poupa nenhum monumento em Paris para descobrir os segredos da tal essência mágica. Mas há uma pedra no caminho. Ou melhor, várias. Caberá ao Papai Smurf, e os amigos Desastrado, Ranzinza e Vaidoso saírem do mundo fantástico onde vivem para mergulhar na busca pela querida Smurfette, que anda dividida.

Smurfette não está de tudo feliz porque é seu aniversário. Quando chega a data, sempre começa a questionar suas origens. Na verdade foi Gargamel que a criou, mas Papai Smurf acabou usando a magia para transformá-la numa verdadeira Smurf. Então, quando Gargamel a seqüestra às vésperas dos parabéns e ela conhece os irmãos Danadinhos, estabelece uma ligação com eles, passando a questionar sua verdadeira identidade. A dúvida sobre qual família escolher a intriga cada vez mais.

O argumento escrito por J. David Stem, David N. Weiss, Jay Scherick e David Ronn, é bem mais inteligente do que as demais animações do gênero, assim como o cuidado com as locações. Enquanto para a garotada o filme é diversão pura, para os pais, pode representar ainda um passeio pelos pontos turísticos parisienses.

A direção de Raja Gosnell é outro mérito. Garante agilidade à trama baseada nos personagens clássicos de Peyo, que desde 2011 ressurgiram dos desenhos animados com cara nova, graças à combinação de recursos de live action. A dublagem, que na versão americana contou com astros como Katy Perry (como a Smurfette), por aqui, em português, não ficou nada a dever e garantiu, do início ao fim, aquilo que é preciso: emoção e diversão.

HISTÓRIA
São mais de 50 anos de sucesso. Desde a estreia nas páginas de um gibi em 1958, por obra e graça do belga Pierre “Peyo” Culliford (1928–1992), os Smurfs conseguem divertir crianças e adultos, ganhando vida em revistas, livros, séries de TV, filmes, videogames, shows ao vivo e bonecos (mais de 300 milhões vendidos). Desde 2011, também em versão 3D, tomaram conta dos cinemas. A primeira versão para as salas de exibição chegou a arrecadar US$ 560 milhões. A julgar pelo cuidado por trás desta novas aventura, as cifras prometem.

Assista ao trailer do filme:


VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE CINEMA