Brasil fica de fora da mostra competitiva do Festival de Veneza

Documentário 'Amazonia', em coprodução com a França, será o único filme brasileiro exibido, fora de competição

por Estado de Minas 30/07/2013 06:00

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
BBC FILMES/DIVULGAÇÃO
Entre os destaques de Veneza, Philomena, de Stephen Frears, com Judi Dench e Steve Coogan (foto: BBC FILMES/DIVULGAÇÃO)
Nenhum filme brasileiro integra a mostra competitiva do Festival de Veneza, um dos mais tradicionais do mundo, que terá sua 70ª edição realizada de 28 de agosto a 7 de setembro. O Brasil estará presente apenas com o documentário 'Amazonia', de Thierry Ragobert, coprodução com a França que será exibido fora de competição. A promessa dos coordenadores do festival é de que este ano o evento reproduzirá ambiente sombrio, que é na realidade espelho do que vem vivendo a Europa em crise. "O cinema reflete os problemas econômicos, sociais, familiares. Retrata realidade geralmente trágica", afirmou o diretor do festival, Alberto Barbera.


Não por acaso, estarão em cena obras cujos temas envolvem abusos sexuais, violência contra as mulheres, dissolução de laços familiares, crise de valores... Tudo muito distante de qualquer possibilidade de otimismo. Vinte filmes concorrem ao Leão de Ouro. Considerados peso-pesados do festival, já andam causando burburinho há muito tempo. É o caso de Stephen Frears com 'Philomena' (Reino Unido); Terry Gilliam com 'The zero theorem' (Reino Unido/EUA, com Christoph Waltz e Matt Damon) e Jonathan Glazer com 'Under the skin' (Reino Unido/EUA, com Scarlett Johansson). Também na lista, 'Joe' (EUA), de David Gordon Green, e 'Child of God' (EUA), de James Franco.


A competição tem ainda grandes nomes, como o do israelense Amos Gitai ('Ana Arabia'), o japonês Hayao Miyazaki ('Kaze tachinu'), os franceses Merzak Allaouache ('Les terrasses') e Philippe Garrel ('La jalousie'), e o cineasta de Taipei Tsai Ming-Liang ou o canadense Xavier Dolan. O júri será presidido pelo diretor italiano Bernardo Bertolucci, de 73 anos, que será acompanhado pela diretora e escritora britânica Andrea Arnold, a atriz francesa Virgine Ledoyen, o diretor de fotografia franco-suíço Renato Berta, e a atriz alemã Martina Gedeck. Para essa edição, 70 cineastas do mundo inteiro foram convidados a filmar um curta ilustrando "sua ideia de fazer cinema", que será apresentado ainda não se sabe como.


Os outros filmes em competição são: 'L’intrepido', de Gianni Amelio (Itália); 'Miss violence', de Alexandros Avranas (Grécia); 'Tracks', de John Curran (Reino Unido/Grécia); 'Via Castellana Bandiera', de Emma Dante (Itália/Suíça/França); 'Tom à la ferme', de Xavier Dolan (Canadá/França); 'Die frau des polizisten', de Philip Groning (Alemanha); 'Parkland', de Peter Landesman (EUA); 'The wind rises', de Hayao Miyazaki (Japão); 'The unknown known: The life & times of Donald Rumsfeld', de Errol Morris (EUA); 'Night moves', de Kelly Reichardt (EUA); 'Sacro gra', de Gianfranco Rosi (Itália); 'Stray dogs', de Tsai Ming-Liang (Taipei/França).



VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE CINEMA