Filme sobre ator mexicano será rodado em agosto

por Estado de Minas 22/06/2013 07:00

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
O filme Cantinflas, sobre os momentos mais importantes da carreira do ator mexicano Mario Moreno (1911-1993), será rodado na Cidade do México, a partir de 24 de agosto. O lançamento será em 2014. O escolhido para dar vida ao comediante foi o espanhol Oscar Jaenada. A direção é do mexicano Sebastián del Amo. Mario Moreno, que morreu na capital mexicana em 1993, aos 81 anos, devido a um câncer de pulmão, não apenas criou Cantinflas, personagem popularesco que saía das mais disparatadas situações, como também um império econômico graças ao dinheiro que ganhou com seus mais de 50 filmes.

O ator e comediante é de família muito humilde, tinha nada menos que 12 irmãos. Por isso mesmo, Mario Moreno passou a adolescência com dificuldades, teve que começar a trabalhar muito jovem. Começou como engraxate, passou a aprendiz de toureiro e foi também motorista de táxi e pugilista. Aos 20 anos, quando trabalhava num teatro popular, teve oportunidade de substituir o apresentador do espetáculo. Como invertia as frases, foi obrigado a improvisar. Assim, conquistou o público.

Esperto, o ator valia-se da experiência de sua origem humilde para criar seus personagens. Mas a maneira de falar de Moreno contribuiu, por outro lado, para dificultar sua carreira internacional. Dos mais de 40 filmes que fez, a maior parte foi produzida pela sua própria companhia.

Em Hollywood, fez A volta ao mundo em 80 dias, sucesso de bilheteria e vencedor do Oscar de filme em 1956, e Pepe, fracasso de público e crítica. O auge da carreira de Cantinflas foi na época de ouro do cinema mexicano, entre os anos 1940 e 50, quando os efeitos econômicos da Segunda Guerra transformaram o país num centro cinematográfico regional. Entre os trabalhos mais elogiados, Os três mosqueteiros (1942), O circo (1943), El supersabio, O mágico (1948), O bombeiro atômico (1950) e Se eu fosse deputado. Em 1956, ele ganhou o Globo de Ouro por seu trabalho em A volta ao mundo em 80 dias. 


VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE CINEMA