Confira as novidades dos blocos de BH que se dedicam ao axé

Surpresa que vem dos céus, trio gigante, novo trajeto e novas cores e caminhão fantasiado são algumas das novidades do Carnaval 2017

por Márcia Maria Cruz 24/02/2017 09:00

RODRIGO CLEMENTE/EM/D.A. PRESS
O Então, Brilha!, que desfila desde 2010 na Rua Guaicurus, se concentra na manhã de sábado e promete novidade apoteótica para o fim do cortejo neste ano. (foto: RODRIGO CLEMENTE/EM/D.A. PRESS)

Dos céus virá surpresa para os foliões que acompanharem o cortejo do Então, Brilha!. O grupo promete um encerramento apoteótico para o desfile deste sábado (25). A concentração este ano será bem cedo – de manhã, na Rua Guaicurus. No repertório, como sempre, as canções do axé, gênero musical nascido na Bahia há mais de 30 anos, que virou coqueluche no carnaval belo-horizontino. Mas os organizadores querem realizar um dos melhores cortejos desde que o bloco saiu pela primeira vez, em 2010, e um dos mais bonitos do carnaval de 2017, daí a surpresa reservada para o final do desfile.

 

A partir desta sexta-feira (24), com o cortejo do Tchanzinho Zona Norte no Dona Clara, às 16h, até terça-feira, com Juventude Bronzeada, todos os dias o ritmo baiano irá embalar a folia dos mineiros. No domingo (26), pela primeira vez, o bloco Baianeiros sai no Castelo (Rua Romualdo Lopes Cançado, 212), às 12h. Na segunda (27), estreia o Havayanas Usadas, na Rua Petrolina, no Sagrada Família, às 11h. Também é o dia de desfile do Baianas Ozadas, do qual o Havayanas é uma dissidência. Pela primeira vez, o Baianas não sairá da Praça da Liberdade, mas sim da Avenida Afonso Pena, com um trio maior (6,20 metros) e um boneco de 4 metros de Moraes Moreira, cantor que será homenageado no desfile.

O cortejo começará em frente ao Palácio das Artes, seguirá pela Avenida Amazonas, Rua Tupinambás, Avenida dos Andradas, Praça da Estação e deverá terminar com a lavagem de uma escadaria. ''Estamos conversando com a Arquidiocese de Belo Horizonte para ver se podemos fazer na Igreja de São José'', adianta o vocalista Geo Cardoso.

Baianidade nagô, de Evandro Rodrigues, com versos como ''eu queria que essa fantasia fosse eterna/quem sabe um dia a paz vence a guerra/e viver será só festejar'' é um dos hits do axé que devem embalar os belo-horizontinos. Se, por um lado, os blocos aqui renegam os abadás e a folia privatizada que se consagrou em Salvador, por outro se inspiram nos sucessos antigos da festa soteropolitana. ''No Juventude Bronzeada sempre existiu uma admiração muito grande pelo axé. As músicas acessam a nossa memória afetiva. Nosso público predominante pulou carnaval nos anos 1990 ao som de axé'', diz a produtora da Juventude Bronzeada, Marcela Pieri.

O Tchanzinho colocou no repertório Trenzinho e Gererê, músicas mais antigas do repertório do É o Tchan. ''São pouco conhecidas por aqui, mas fazem sucesso até hoje em Salvador'', conta uma das fundadoras do bloco, Laila Heringer. O bloco também executará o sucesso Me libera, nega, de MC Beijinho, que promete ser um hit deste carnaval.

É O TCHAN
Novidade será o minitrio que vem com alegorias em referência ao álbum É o Tchan na selva (1999). ''Esse é o quinto desfile do Tchanzinho, mas é a primeira vez que a gente vai conseguir enfeitar o carro. A gente estimulou as pessoas a ir com um tipo de fantasia. Fizemos uma chamadinha convidando a usar fantasias que remetam à selva e a animais.'' O bloco estreia também naipe de pandeiros. Este ano, o cortejo não terá o tradicional carro de supermercado com o teclado do músico Artênius Daniel. ''A gente sempre gosta de fazer uma gambiarra. Teremos um aparato para que o cavaquinista consiga cantar e tocar ao mesmo tempo. Fizemos um tipo de mochila, que é um porta-microfone portátil acoplado na mochila'', brinca Laila.

Amanhã, o Brilha terá naipe de vozes com 30 integrantes. Em determinado momento, cantarão juntos, em outros se dispersam na multidão para ajudar a puxar as músicas. Todos eles terão megafones com as cores rosa, dourado e muita purpurina. ''Fizemos a chamada pública em setembro do ano passado para as pessoas que quisessem participar. Nosso repertório se mantém com músicas de axé music dos anos 1980 e 1990'', afirma o coordenador do naipe de vozes, o músico Rubens Aredes.

Mas, juntamente aos clássicos do axé serão apresentadas músicas autorais de Gustavito, Pedro Thiago e Leopoldina, músicos que integram a banda do bloco. Conhecido por colocar na Guaicurus milhares de pessoas com fantasias de rosa e dourado, o Brilha, este ano, terá uma inovação nas cores da bateria – os ritmistas vestirão fantasias com tons de vermelho, laranja, amarelo, verde, azul e lilás. ''Cada naipe terá uma cor diferente, de forma que, do alto, forme as cores da bandeira LGBT'', diz Rubens.

Reconhecido pela inclusão de pessoas de todos os gêneros e orientações, o Brilha denunciará o assassinato de indivíduos LGBT. Relatório do Grupo Gay da Bahia mostrou que 340 pessoas foram mortas por LGBTfobia em 2016, cita Rubens. ''Soltaremos 340 balões coloridos para lembrar essas vidas'', afirma.

O cortejo da Juventude Bronzeada terá músicas autorais produzidas para o álbum Tropical lacrador. ''Durante os ensaios, procuramos reproduzir com a bateria os arranjos do álbum. As pessoas estão cantando as músicas. Está muito legal'', afirma a produtora Marcela Pieri. Diante do envolvimento de tantos músicos profissionais na construção do bloco, ela e o regente Rodrigo Boi Magalhães avaliaram que era momento para produção autoral. Tropical lacrador começou a ser gestado em julho do ano passado, quando a proposta foi apresentada aos guitarristas, chefes de naipes da Juventude e demais interessados em composição.

SALVE, MORAES MOREIRA
Uma estreia aguardada deste carnaval é a do bloco Havayanas Usadas, que desfilará no Sagrada Família na segunda-feira (27) de Carnaval. O bloco tem como cantores o músico Heleno Augusto e Vi Coelho. ''Dos 10 integrantes da banda, quatro são mulheres: no vocal, a Vi Coelho; na guitarra, Taskia Ferraz; no surdo, Cris Gil e Débora Mendes. E ainda temos a Paula Silva na produção'', afirma Heleno. ''Vai ser muito bom. As pessoas estão ensaiando desde novembro.''

 

O bloco terá minitrio, que, em outros dias, será usado por Tchanzinho Zona Norte, Então, Brilha!, Garotas Solteiras e Bloco da Calixto. Para melhorar a qualidade do som, os blocos fizeram a festa Sonoriza, que arrecadou recursos para investir na sonorização. Aline Calixto fez evento à parte para arrecadar fundos, mas também participa do rodízio do trio. Heleno afirma que, além de clássicos do axé dos anos 1980, 1990 e 2000, o repertório do Havayanas terá músicas de Gilberto Gil e Caetano Veloso. Me libera, nega também está sendo preparado.

Dois blocos deverão sair com estruturas sonoras maiores. Baianas Ozadas, que desfila na segunda, e o Baineiras, que desfilará dois dias – domingo e terça. Baianas vem com o tema Salve, Moraes dos eternos carnavais. ''Moraes foi o primeiro cantor de trio elétrico da história e, este ano, completa 70 anos de idade. Vamos passar por diferentes momentos da obra dele, como a criação do frevo baiano e a participação nos Novos Baianos'', diz Geo Cardoso.

O trio do bloco neste ano é o mesmo que será usado pelo Monobloco na terça-feira (28). Estarão à venda camisas assinadas pelo estilista Ronaldo Fraga. ''O dinheiro da venda das camisas será revertido para o Hospital da Santa Casa'', diz Geo.

Aos moldes do carnaval de Salvador, pela primeira vez o Baianeiros vai agitar os foliões no carnaval com trio elétrico. ''O intuito é melhorar a qualidade de som e levar alegria e muito axé para as pessoas'', comenta Lelo Lobão, baixista do Chiclete com Banana e um dos sócios do bloco. O trio elétrico tem mais de 16 metros e o som pode alcançar aproximadamente 200 mil watts de potência.

AGENDA DA FOLIA

 

Confira a saída dos blocos de axé

SEXTA-FEIRA

Tchanzinho Zona Norte
>> Às 16h, na Avenida Sebastião de Brito, esquina com Rua Irmã Eufêmia, no Bairro Dona Clara

SÁBADO

Então, Brilha!
>> De manhã, na Rua Guaicurus, no Centro

DOMINGO
Baianeiros
>> Às 13h, no Bairro Castelo (concentração na Rua Romualdo Lopes Cançado, próximo à rua Sylvio Menicucci). Desfila também na terça no Buritis (concentração na Av. Aggeo Pio Sobrinho, próximo ao número 401), às 13h

SEGUNDA-FEIRA
Havayanas Usadas
>> Às 11h, na Rua Petrolina, no Sagrada Família

Baianas Ozadas
>> Às 9h, na Avenida Afonso Pena, em frente ao Palácio das Artes

TERÇA-FEIRA
Juventude Bronzeada
>> Às 10h, no Bairro Floresta (local não foi informado)

VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE CARNAVAL