Multidão anima domingo de carnaval em Olinda

Apesar do calor, a cidade pernambucana foi tomada por foliões

por Diário de Pernambuco 15/02/2015 17:51

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
Alice de Souza/DP/D.A Press
Ladeira da Misericórdia lotada por volta das 12h (foto: Alice de Souza/DP/D.A Press)

Um domingo de muita gente e muita empolgação em Olinda. Desdenhando o calor escaldante, o público começou a chegar à cidade alta por volta 11h, tomando conta das ladeiras de acesso à prefeitura e ao Carmo. As grandes atrações deste domingo em Olinda foram os blocos Mucha Lucha, Enquanto Isso na Sala da Justiça e I Love Cafusú, além da passagem das baterias do Patusco, Batuketu e D’breck.

O Alto da Sé começou a concentrar personagens dos quadrinhos por volta das 10h. Vestidas de Mulher Maravilha, Capitão América, Batman e Lanterna Verde, famílias inteiras ocuparam a frente da Caixa D’água da Compesa para assistir a descida do Homem Aranha, que neste ano travou uma batalha com o Venon em pleno ar.

Alice de Souza/DP/D.A Press
Grupo de foliões aportou a Praia de boa Viagem nas ladeiras de Olinda (foto: Alice de Souza/DP/D.A Press)


“Estou vestida de mulher gato pela primeira vez. Sou de Olinda e não troco o carnaval daqui por nada”, contou a enfermeira Gilda Seara, 36 anos. Pouco antes, o Mucha Lucha levou um ringue para o Sítio Histórico e desafiou os super-heróis em batalhas cômicas. Vestidos de máscaras típicas da luta livre mexicana, os lutadores saem em Olinda desde o ano de 2008.

Prestando homenagem ao ex-vocalista Dielson Lima, morto em novembro de 2014, o Patusco levou 220 músicos para as ladeiras. Pontualmente às 8h59, o grupo saiu do Amparo arrastando uma multidão. Neste ano, a agremiação preferiu fazer um repertório de preservação da cultura local. “Queremos exaltar a cultura da terra e artistas como Marrom Brasileiro”, contou o diretor de bateria Henrique Guimarães.

Nas ladeiras, muita irreverências dos foliões. Um grupo de amigos decidiu levar todos os personagens curiosos da Praia de Boa Viagem para o Sítio Histórico. O grupo era composto por um surfista machucado, um tubarão, uma turista com “pau de selfie”, uma vendedora de caldinho e até uma salva-vidas.

O massacre na publicação Charlie Hebdo também não foi esquecido. “Meu marido é francês, adora o carnaval de Olinda e quis prestar essa homenagem ao que aconteceu no país dele”, contou a médica Matilde Thouvenin, casada com o engenheiro Jean Francois. Os dois estavam fantasiados de lápis, uma menção aos cartunistas mortos.

Alice de Souza/DP/D.A Press
Patusco foi uma das grandes atrações deste domingo (foto: Alice de Souza/DP/D.A Press)

VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE CARNAVAL