Foliões desistem de montar bloco em BH com medo de público muito grande

Com estimativa de 8 mil pessoas, organizadores cancelaram o Bloco Acabou a Brincadeira, que se reuniria no Coração Eucarístico

por Bossuet Alvim 06/02/2015 10:47

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.

O plano era de festa: quatro amigos decidiram montar um bloco, concentrado no Coração Eucarístico, para curtir o carnaval da capital com mais intensidade. A ideia, entretanto, não se concretizou — na última quinta-feira, 5, o Bloco Acabou a Brincadeira seguiu o nome ao pé da letra e cancelou sua participação na folia de BH. "Depois que a Belotur publicou o evento oficialmente no site, nossa página no Facebook alcançou 96 mil visualizações em menos de quatro horas", explica Olcimar Campos, um dos organizadores do grupo. Com a possibilidade de uma aglomeração muito maior que o planejado, a decisão foi unânime entre o quarteto: "não nos sentimos seguros em realizar o desfile e protocolamos o cancelamento do evento".

 

Confira programação completa dos blocos de rua em BH

 

Os fundadores do bloco que não chegou a existir afirmam que a desistência aconteceu "em respeito à população de BH". "A gente pensa na conservação da cidade e na segurança das pessoas", detalha Olcimar, que explica como a grande repercussão da proposta de bloco assustou os amigos. "Fui procurado por turistas do Sul, que pediam informações sobre hotéis na região", ele relata. Segundo os organizadores, a estimativa de público da Polícia Militar para o bloco foi de 8 mil pessoas.

 

O temor de que a multidão causasse problemas na região também esfriou o ânimo dos foliões em relação às festas na cidade. "Há 16 anos eu não passo o carnaval em BH. Pelo movimento que a cidade tem demonstrado, quis voltar a ficar na cidade", diz Campos. Depois de cancelar a saída do próprio bloco, o gestor operacional de 33 anos admite que perdeu a disposição para ficar na capital. Os quatro amigos decidiram passar o carnaval no Rio de Janeiro, levando consigo o uniforme que planejavam ostentar pelas ruas da capital mineira. "A ideia é a gente fazer nosso bloquinho lá e desfilar pela cidade com as camisas que a gente fez", adianta Olcimar.

 

Organização 

Em nota, a Belotur informa que "a divulgação do bloco de rua Acabou a Brincadeira para a imprensa e nos meios de comunicação e peças gráficas da Belotur foi autorizada pelo representante do bloco no ato do cadastro". A Empresa Municipal de Turismo ressalta que a divulgação das atividades é opcional, uma vez que alguns grupos preferem evitar aglomerações maiores que o planejado.  

 

O órgão da Prefeitura de BH ainda destaca que "os blocos de rua, por tratarem-se de manifestações populares e espontâneas, não necessitam de licenciamento". Nestes casos, o cadastro da Belotur é usado para que a PBH possa incluir os grupos de foliões no planejamento do carnaval, com o oferecimento de "banheiros químicos, trânsito, limpeza e segurança".

 

A empresa informa que realizou três reuniões com os organizadores dos blocos de rua antes do cadastramento, além de reuniões individuais após a inclusão dos blocos no planejamento. "É de conhecimento da Belotur que o responsável pelo bloco cancelou o mesmo com receio da dimensão de público que o bloco tomou após divulgação no Facebook", conclui a nota. 



VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE CARNAVAL