Memorial Vale mostra o trabalho do fotógrafo Aristides Alves

A religiosidade e as tradições católica e afro-brasileiras são referências marcantes em seu trabalho autoral

por Estado de Minas 06/07/2017 07:00

Aristides Alves /Divulgação
(foto: Aristides Alves /Divulgação)
Aristides Alves volta a Belo Horizonte para comemorar seus 40 anos dedicados à fotografia. O retorno, no caso, é porque ele nasceu na capital mineira, mas vive em Salvador desde 1972, onde começou a se dedicar ao ofício e à arte fotográfica. Hoje, o veterano é o convidado do projeto Foto em Pauta, no Memorial Vale, onde vai mostrar seu trabalho e lançar seu livro mais recente O eixo de Oju, editado para marcar a data. Oju é a palavra iorubá para olhar.


Aristides conta que Minas Gerais e a Bahia têm em comum o Barroco, que ele diz ter impregnado sua maneira de ver e “acabam interferindo na forma de se expressar”. A religiosidade e as tradições católica e afro-brasileiras são referências marcantes em seu trabalho autoral. De Minas, herdou a matriz católica. Ele conta que sua mãe fez uma promessa para que o filho sobrevivesse, depois de duas gestações mal-sucedidas. Para cumpri-la, a cada ano, Aristides desfilou vestido de Santo Antônio na procissão em BH até completar 7 anos. Da Bahia, encantou-se pela herança africana, pelos cultos aos orixás e suas lendas.

Na conversa com o público, o fotógrafo vai mostrar os cinco ensaios que compõem o livro. Etu, que significa galinha dangola em iorubá; Outros, em que controi personagens em fotos de estúdio; Tríade, que cria narrativas a partir de fotos de tempos e lugares diferentes; Música urbana, com imagens de rua; e Cores, em que explora planos e recortes entre o real e o imaginário. Segundo ele, todos eles são trabalhos em progresso, pois sempre são acrescidos de novas imagens. (Pablo Pires Fernandes)


FOTO EM PAUTA COM ARISTIDES ALVES
Hoje, às 19h30, no Memorial Minas Gerais Vale (Praça da Liberdade, 640, Funcionários). Entrada franca

VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE ARTES E LIVROS