Festival MECAInhotim vai reunir destaques da cena independente

Música e debates sobre economia criativa estão no programa. Desta vez, não há polêmica sobre preço dos ingressos

por Mariana Peixoto 05/07/2017 07:00

Bruno Soares/divulgação
Bruno Soares/divulgação (foto: Bruno Soares/divulgação )
Sete meses depois da primeira edição, Brumadinho recebe no fim de semana o Meca Inhotim. Sem polêmica, pelo menos até agora, o festival ganhou um dia a mais (serão três, contra os dois em novembro de 2016), um número maior de atrações e ingressos com valores bem menores.

 

A programação segue o estilo dos eventos do Meca, que nasceu em 2011, no Rio Grande do Sul, e ganhou pelo menos 20 edições em diferentes pontos do país. Festival indie que não se limita à música, oferece oficinas e bate-papos voltados para empreendedorismo, cidadania e universo digital. Deve causar rebuliço a presença da atriz Alice Braga em um debate, na tarde de sábado.

 

A programação de shows segue a linha da edição anterior. Muitas atrações indies (DJs e novas bandas), nomes no auge da popularidade (Karol Conka deve arrastar uma pequena multidão a Inhotim) e um medalhão indiscutível (Jorge Benjor, que retorna a Minas pouco mais de um mês depois de apresentação na Praça da Estação).
O próprio Inhotim é a maior das atrações – haverá visitas guiadas com a equipe do centro de arte contemporânea a várias obras.

NAMORO Como festival, o Meca aportou em Inhotim em 2016. Mas em janeiro de 2015 começou o “namoro”, uma tarde de shows com o nome de Meca Special. Quando a primeira edição do evento foi anunciada, no ano passado, a chuva de críticas por causa do valor dos ingressos (de R$ 125 a R$ 490) foi tão grande que provocou uma reação local. No mesmo fim de semana do evento, houve um festival gratuito (o debochado Merreca) no Baixo Centro de BH.

 

Com ingressos a valores mais baixos (de R$ 40 a R$ 440), o festival ganhou a simpatia do público local. Escalou uma série de bandas e atrações de BH (Duelo do Passinho, Djambê e FatMonkey) e até mesmo DJs da festa Masterplano, co-organizadora do Merreca.

LALÁ Karol Conka, que faz show no sábado, às 19h30, chega a Inhotim na esteira do lançamento do clipe  Lalá. Lançado há três semanas, o vídeo da música (que fala sobre o sexo oral do ponto de vista das mulheres) viralizou – foram 2,8 milhões de visualizações até ontem.


“Não sabe a diferença de um clitóris para um ovário”, canta Karol. A repercussão foi grande, tanto de apoiadores quanto detratores. “Todo mundo tem o direito de ter uma opinião e, mais importante, todo mundo tem o direito de sentir prazer. Algumas pessoas se sentiram ofendidas porque a música atinge o ego delas e isso prova o quanto precisamos falar desse assunto”, comenta a rapper.

 

No auge, Karol – que, além de rapper, é produtora e apresentadora de TV – posiciona-se como artista. “Tudo que é natural flui com leveza. Já é da minha natureza me permitir estar em vários lugares. O artista tem que ser artista, independentemente da plataforma em que atua. Deve fazer o que está ao seu alcance”, diz.


FOLK  A banda mineira Moons dá início aos trabalhos, na sexta-feira, no palco principal. O projeto solo de André Travassos (Câmera), pautado no folk, veio a público há menos de um ano com o álbum Songs of wood & fire. Rapidamente, virou sensação do meio indie.

 

Apresentada como “banda de um homem só” quando do lançamento do disco, Moons, na verdade, contou com a participação de vários músicos nesse trabalho. “Nos dois últimos anos do Câmera, a gente tocou bastante, fazia eventos tipo balada e eu queria dar uma ressignificada no trabalho. Fiz uma coisa diferente, mais intimista. Minha expectativa era ficar sozinho, mas os meninos chegaram e acabou virando uma banda”, conta André Travassos.


E que banda. No Meca, serão sete no palco: Bernardo Bauer (baixo), Jennifer Souza (guitarra), Victor Magalhães (teclados), Tiago Eiras (bateria), Rodrigo Garcia (cello) e Digo Leite (gaita), além de Travassos (voz, guitarra e violão).
“O show será um pouco diferente, pois vamos fazendo em conjunto com o Terno Rei (de São Paulo). Num determinado momento, as duas bandas estarão juntas no palco”, acrescenta Travassos, que promete pelo menos duas novas canções. “Agora que viramos banda, acabamos compondo uma música. A ideia é entrar em estúdio em julho para gravar um EP registrando a fase nova.”

ESTREIA Outra atração do Meca será a cantora e performer paulista Lia Paris, no domingo. Pela primeira vez por estas bandas, ela faz em Inhotim a pré-estreia de seu novo show, Lua vermelha. No palco com nove instrumentistas, vai apresentar em formato de show o repertório do EP lançado no fim de 2016.


“Minha carreira é meio diferente das convencionais. São poucos shows, coisas mais especiais. Como eles demandam muita produção, não dá para fazer em qualquer lugar”, diz ela, recém-chegada da Islândia, onde gravou o clipe da faixa As ondas. Lua vermelha tem quatro faixas. Cada uma ganhou clipe com pegada de videoarte, contando uma história. O vídeo de Uncanny foi registrado no deserto da Califórnia, enquanto o de Laos foi gravado em Paris.

Cantora inspirada na estética sessentista, Lia abraçou a música há três anos. Até então, havia trabalhado com moda (foi modelo) e artes cênicas (foi artista circense). Morou muito tempo fora do Brasil e ainda hoje mantém um pé no país (em São Paulo) e nos EUA (Los Angeles). “Na verdade, tenho banda desde os 15 anos, mas não me considerava cantora”, diz.
Em 2014, depois de conhecer Samuel Rosa numa festa, acabou virando parceira dele. Compôs e gravou com o Skank a faixa Aniversário, registrada no disco Velocia (2014). “O Samuel tinha me mandado duas músicas na época. Essa e uma outra cuja letra demorou”, lembra. A segunda parceria virou Foguete, que Samuel gravou com Lia em 2015.

 

PROGRAMAÇÃO

SEXTA
» Shows
• 17h – Carol Mattos e Belisa (Masterplano)
• 19h30 – Simeo
• 20h30 – Moons
• 21h15 – Terno Rei
• 22h30 – Ventre
• 0h – Balako
• 1h30 – Silver City Live (Argentina)

SÁBADO
» Workshops (8h/14h)

» Day party (13h30/17h30)
• Lúcio Ribeiro
• Fernando Dotta e Rafael Farah
• Larissa Busch
• Filipe Raposo

» Palestras (14h30/17h30)
• Gabriel Klein (Vice)
• Barbara Soalheiro (Mesa & Cadeira)
• Felipe Anghinoni (Perestroika)
• Gian Martinez (Winnin)
• Lourenço Bustani (Mandalah)
• Marina Person
• Alice Braga

» Shows
• 19h30 – Karol Conka
• 21h – Jorge Ben Jor
• 23h – Joakim (França)
• 1h30 – Pional Musiq (Espanha)

DOMINGO
» Workshops (9h/14h30)

» Day party (13h30/17h30)
• Juliana Baldi
• Mark Daniel e Pedro Valério
• Vitor Sobrinho
• Xeréu, Dollah Karma e Leandro Matos (Festa Push)

» Palestras (14h30/17h30)
• Deco Neves e Lucas Stegmann (Bolovo)
• Pedro Garcia (Queremos)
• Gabi Agustini (Olabi)
• João Cavalcanti (Kunumi)
• Claudia Assef e Monique Dardenne (Women’s Music Event)
• Carlota Mingolla

» Shows
• 18h40 – FatMonkey
• 19h30 – Djambê
• 20h30 – Lia Paris
• 22h – Lumen Craft
• 23h30 – Stee Downes Live (Irlanda)

» Closing party (2h/4h)
• Joutro Mundo-Jonas Rocha
• Guga Roselli (Mareh)

 

MECA INHOTIM

De sexta-feira (7/7) a domingo (9/7). Inhotim, Rua B, 20, Brumadinho. Informações: www.meca.love. Passaporte três dias: R$ 440 (inteira) e R$ 220 (meia). Sexta-feira (noite): R$ 40 e R$ 20 (meia). Sábado (dia e noite): R$ 270
e R$ 135 (meia). Domingo (dia e noite): R$ 80 e R$ 40 (meia).

VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE ARTES E LIVROS