Jornalista lança em BH livro dedicado à literatura infantojuvenil

Em 'Habitar a infância - Como ler literatura infantil', Graça Ramos analisa e aponta obras que podem enriquecer o universo das crianças

por Lilian Monteiro 22/06/2017 10:20

Acervo pessoal
(foto: Acervo pessoal)
Qual o papel da leitura na formação do cidadão? O doutor Ulysses Guimarães já dizia: “Cidadão se faz com o alfabeto”. A jornalista, mestre em literatura e doutora em história da arte Graça Ramos lança hoje (22), na livraria Quixote, Habitar a infância – Como ler literatura infantil (Tema Editorial), livro que é pura declaração de amor à leitura e aos pequenos leitores. “Sou adepta de que o importante é ler, saber e aprender a ler. E a criança é produtora de sentido, embora alguns ainda tenham dificuldade de ver isso”, diz Graça.


O livro reúne textos do blog que a escritora manteve por mais de um ano no site do jornal O Globo, dedicado à literatura infantojuvenil. Os 68 textos não subestimam, em nenhum momento, a inteligência e a complexidade das crianças. Cada artigo é pontuado por livros relacionados ao principal tema abordado. São mais de 300 obras de literatura infantil organizadas com referências bibliográficas completas. O índice onomástico é outro recurso para facilitar a experiência de pais e educadores em busca de autores que possam enriquecer e diversificar o universo infantil.

“Lançamos o livro em Brasília, no Rio de Janeiro e agora em Belo Horizonte. O retorno tem sido interessante por ser um tema sobre o qual quase toda família se questiona, pois deseja entender a literatura infantil para se aproximar das crianças. No contato com os leitores, as perguntas são direcionadas pela preocupação com a construção da formação dos pequenos leitores”, explica.

Graça Ramos enfatiza que o livro é destinado a adultos, pais e professores, que funcionam como intermediadores e mediadores. “Ainda mais porque tudo o que você escolhe com conhecimento é uma escolha consciente”, pondera. Sugestão valiosa para os adultos é que não imponham a leitura às crianças, mas criem um ambiente de acesso e deixem os livros próximos delas.

A jornalista diz que sua pesquisa traz amplo universo de autores, fala de como lidar com os clássicos (Machado de Assis, Aluísio de Azevedo e Lima Barreto, por exemplo) e trata de políticas públicas para a criação de um mercado democrático de acesso à leitura e à imagem.

Nos quatro capítulos, Graça aponta, entre vários temas importantes, a carência de bibliotecas especializadas nesse segmento e a ausência de espaços conhecidos como “bebetecas”, destinadas à primeira infância, comuns em países desenvolvidos. Aborda também o universo digital, o cuidado com a leitura virtual (ela não a censura, mas aconselha sua adequação ao repertório da criança) e o risco de gerar impasses no aprendizado da leitura em algumas regiões do país.

HABITAR A INFÂNCIA: COMO LER LITERATURA INFANTIL
. De Graça Ramos e Sérgio Luz (ilustrações)
. Tema Editorial
. 312 páginas
. R$ 40
. Lançamento hoje (22/6), às 18h, na Livraria Quixote, Rua Fernandes Tourinho, 274, Savassi

VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE ARTES E LIVROS