Ensinamentos de Chico Xavier ganham ilustrações por Maurício de Sousa

Ilustrador diz acreditar que a difusão do exemplo do médium para crianças possa 'Contribuir para um futuro com adultos melhores'

por Tetê Monteiro 17/04/2017 08:00

Editora Boa Nova/Divulgação
Na ilustração de Mauricio de Sousa, Chico Xavier 'participa' da conversa com a Turma da Mônica. (foto: Editora Boa Nova/Divulgação)

– Acabei de lembrar do dia em que fomos visitar o Chico Bento, na Vila Abobrinha, disse Magali. Quando chegamos, vimos que muitas árvores tinham sido arrancadas por um temporal. Goiabeiras, laranjeiras, mangueiras...tive pena de quantas frutas eu não poderia comer.


– E o que mais chamou a atenção foi ver que Chico e Zé Lelé corriam alegres de cima para baixo, completou Cascão.

– O Chico também falou que não adiantava reclamar ou ficar triste, continuou Magali. Eles estavam correndo para tentar resgatar as árvores que tinham sido arrancadas do chão, para replantá-las e manter a natureza em harmonia.

O diálogo acima faz parte do livro Chico Xavier e seus ensinamentos, de Maurício de Sousa, Luis Hu Rivas e Ala Mitchell, editado pela Boa Nova. Na sequência da conversa, uma das citações de maior sucesso do mais importante médium brasileiro: ''Embora ninguém possa voltar atrás e fazer um novo começo, qualquer um de nós pode começar agora a fazer um novo fim''. No caso, a frase foi usada para explicar às crianças da Turma da Mônica que não adiantam reclamar, é preciso reparar e foi o que Cebolinha, Mônica, Cascão e Magali fizeram ao replantar árvores que foram arrastadas por uma tempestade.

Esse é um dos 25 ensinamentos de Chico Xavier (1910-2002) que os autores selecionaram para mostrar às crianças que é possível, sim, aprender tolerância, respeito, solidariedade, humildade, disciplina e outras tantas virtudes que o médium de Uberaba esbanjava com maestria, sem mostrar nenhum esforço em praticá-las. Em 2012, Chico foi eleito o maior brasileiro de todos os tempos em uma votação popular promovida pelo SBT. O livro infantil é uma homenagem ao médium. No último 2 de abril, completaram-se 107 anos de seu nascimento.

A Turma da Mônica mostra aos pequenos leitores que se pode extrair ensinamentos do bem nas coisas simples do dia a dia. E, em um mundo em que a intolerância está sempre batendo à nossa porta, esses exemplos fazem a diferença. ''Chico Xavier foi um verdadeiro exemplo de tolerância e amor. Sempre estava disponível para servir o próximo, ajudando a milhares de pessoas, independentemente de sexo, cor ou crenças político-religiosas. Acreditamos que colocar isso ao alcance das crianças é uma forma de contribuir para a construção de um mundo mais justo e humano'', afirma Luis Hu Rivas.

Segundo os autores, o processo de produção da obra foi bastante criterioso e surgiu como uma continuidade de outros livros da parceria entre a editora Boa Nova e a Maurício de Sousa Produções, como Meu pequeno evangelho. A produção de Chico Xavier e seus ensinamentos também realizou entrevistas com pessoas que conviveram com o médium, como amigos e o próprio filho de Chico, Eurípedes Higino. No livro, há ainda o personagem de Emmanuel, o guia espiritual do médium.

Espíritas, Luis Hu Rivas e Ala Mitchell não consideram que Chico Xavier e seus ensinamentos seja destinado apenas às crianças adeptas do espiritismo, apesar de reconhecerem que era a hora de aprofundar um pouco mais sobre o legado da doutrina espírita no Brasil. Para os autores, os valores deixados por Chico são universais e fundamentais para o estabelecimento de uma sociedade saudável, onde as pessoas se respeitem e respeitem seu ambiente. ''São 25 ensinamentos, como amor aos animais, amar sempre, sinal de alegria, não julgamento, que são desejos universais de todas as sociedades modernas. Quem não gostaria de passar tais princípios aos filhos?'', diz Ala Mitchell.

SEMEANDO O BEM

O desafio agora é saber se a Turma da Mônica vai cumprir o papel de provocar pensamentos mais positivos e produtivos às futuras gerações e se dos ensinamentos de Chico Xavier brotarão frutos nos pequenos leitores. Para os autores, não há dúvida de que os exemplos do médium são sementes. ''Tudo o que for feito para contribuir para uma sociedade mais justa, humana e caridosa, acreditamos que dará frutos. Essa é a nossa aposta nas futuras gerações. Não adianta reclamarmos dos problemas pessoais, da corrupção etc. se não semearmos o bem. O agora sempre é o momento ideal para semear'', afirma Luis Hu Rivas.

Seu parceiro, Ala Mitchell, faz ainda um paralelo com o momento atual que estamos atravessando na política brasileira: ''Imaginemos como teria sido diferente se os políticos de hoje, quando crianças, tivessem conhecido esses exemplos de Chico Xavier? Provavelmente teríamos um lugar bem melhor para viver''.

Chico Xavier e seus ensinamentos
• Editora Boa Nova
• R$ 31,90

VENDAS
Em pouco mais de duas semanas de lançamento, Chico Xavier e seus ensinamentos já teve mais de 15 mil exemplares vendidos. A expectativa da editora Boa Nova é que a obra ilustrada por Mauricio de Sousa “siga os passos” de Meu pequeno evangelho, também com a Turma da Mônica, que já vendeu mais de 100 mil unidades.

Três perguntas para...
Mauricio de Sousa,
ilustrador

Você é espírita?
Tenho minha religião, que é a católica, mas tenho leitores de diversas religiões.

Por que você decidiu ''ceder'' seus personagens para a divulgação da doutrina espírita e seus ensinamentos para as crianças?
Temos leitores de diversos credos, porque em nossas histórias procuramos elevar os princípios da solidariedade, amizade e respeito ao próximo. Sem preconceitos. Assim, temos publicações em editoras católicas, evangélicas e, como nesse caso, espírita. Todas as religiões têm um fundamento em comum que é a busca do amor e da paz entre os homens.

Em um mundo em que a intolerância é crescente, qual a importância de levar às crianças os ensinamentos de Chico Xavier?
Chico Xavier foi um brasileiro que, independentemente de sua religião, demonstrou uma atitude simples, de ajuda aos seus semelhantes e respeito à vida. Por isso foi sempre respeitado por pessoas de diversas religiões. Ao passarmos para as crianças esses exemplos de vida, diferente de exemplos de violência e desrespeito, que são comuns hoje em dia, poderemos contribuir para um futuro com adultos melhores.

VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE ARTES E LIVROS