Tiradentes recebe 7º Festival de Fotografia; confira atrações

Com atividades gratuitas de hoje a domingo, sétima edição do evento amplia o número de artistas participantes, cria novas parcerias e destaca os fotolivros

por Márcia Maria Cruz 22/03/2017 08:50
Paula Clerman/Divulgação
Obra da série 'Beleza americana', de Paula Clerman, foi realizada em praias do Sul dos Estados Unidos (foto: Paula Clerman/Divulgação )
O Festival de Fotografia de Tiradentes abre espaço para a investigação pessoal dos profissionais que trabalham com a imagem e, ao mesmo tempo, movimenta o turismo na cidade histórica. Em sua sétima edição, de hoje a domingo, o evento terá a apresentação de trabalhos de cerca de 300 fotógrafos e artistas, lançamento de 20 fotolivros e 15 palestras. As atividades são voltadas tanto para profissionais como amadores e para quem ama a arte da luz. Derivação do projeto Foto em Pauta, o festival passou a ser realizado em Tiradentes em 2011, se estabelecendo como espaço para a exibição e o debate a repeito dos caminhos da fotografia contemporânea.


Durante cinco dias, o Centro Histórico respirará fotografia com atividades gratuitas para contemplação e qualificação de quem pretende enveredar pela criação de imagens. “No período da quaresma, a ocupação na cidade é baixa. Por isso o festival ganhou a simpatia das pessoas. Ativa a economia nesta época de forma muito positiva. Fotografar é dar importância às coisas, é um ato de carinho”, diz Eugênio Sávio, coordenador do festival.

Uma das novidades será a Mostra de Portfólio, formato em que 25 artistas selecionados apresentam suas obras. Para chegar a esse grupo, os organizadores analisaram cerca de 700 trabalhos de vários estados brasileiros e até de outros países. Um pouco diferente das exposições, a ideia da mostra é permitir que cada um dos selecionados apresente as fotos, de maneira interativa, em mesas montadas na Escola Municipal Marília de Dirceu. “Eles vão apresentar as fotos impressas e poderão ter o retorno do público”, adianta Eugênio. A inovação supre a existência de poucas galerias na cidade, propondo a ocupação alternativa dos espaços com a fotografia.

Como parte do desejo dos organizadores do festival de estabelecer diálogo com iniciativas semelhantes, haverá um eixo dedicado à produção do Nordeste do Brasil. A curadoria foi feita por João Castilho, Pedro David e Gabriela Sá. “São trabalhos que tratam de questões existenciais, dificuldade da vida, relacionamentos, temáticas abordadas pela arte como um todo”, afirma Eugênio. A proposta nasce do intercâmbio com o Festival de Fotografia de Fortaleza, realizado este mês no Centro Dragão do Mar de Arte e Cultura. “Trouxemos parte desses trabalhos para cá e pretendemos levar daqui pra lá também. Estabelecer os diálogos e multiplicar as curadorias”, pontua Eugênio.

A experimentação de suportes está presente nas distintas formas de produção, mas também na exibição das imagens. “Os artistas são múltiplos, com linguagens híbridas. Muitos usam vídeo e apresentam o trabalho com auxílio do iPad.” Dentro dessa filosofia, são realizadas projeções cuja curadoria foi realizada por Felipe Abreu. A proposta foi convidar o maior número possível de escolas de fotografia e coletivos para realizar as projeções. Eugênio adianta que pelo menos 300 profissionais deverão apresentar seus trabalhos.

Outro eixo é a apresentação e lançamento de fotolivros de 20 autores brasileiros. Um dos lançamentos mais esperados é Zoo, do artista visual João Castilho. O trabalho retrata animais silvestres em ambientes residenciais. Também haverá o lançamento dos fotolivros dos artistas paraenses Guy Veloso e Elza Lima, que integram a coleção Ipsis de Fotografia Brasileira.

Cristina de Middel/Divulgação
A espanhola Cristina de Middel trabalha com fotojornalismo, mas mantém premiada carreira artística (foto: Cristina de Middel/Divulgação)
Pescadoras Fernanda Oliveira e Sérgio Carvalho apresentam o livro Sereias, em que revelam o mundo das pescadoras artesanais no Ceará. Durante quatro anos, a dupla pesquisou e documentou a vida e o ofício de mulheres que cuidam da casa e se lançam ao mar, superando assim os tabus de uma atividade dominada por homens. Davilym Dourado apresenta o Chuva fora de lugar, trabalho que reflete as mudanças climáticas que fragilizam a humanidade.

Eugênio destaca a parceria com os empresários locais, elemento essencial para viabilizar o evento economicamente. “O festival nasceu grande. Havia uma ansiedade para criar espaço para trocar ideias sobre a produção nacional e mineira. A cada ano melhoramos a qualidade, aprimoramos o jeito de fazer. É o resultado do esforço de muita gente, que sua a camisa”, conclui. As atividades são oferecidas gratuitamente, sem a necessidade de inscrição prévia, sujeitas apenas à limitação do espaço.

Rogério Assis/Divulgação
Os povos da Amazônia são tema de pesquisa do paraense Rogério Assis (foto: Rogério Assis/Divulgação)
Ação política e meio ambiente O panorama da fotografia no Nordeste, a relação entre fotografia e conservação e fotografia como instrumento de proteção e desenvolvimento do conhecimento sobre o meio ambiente são alguns dos assuntos tratados no 7º Festival de Fotografia de Tiradentes. Durante os cinco dias, o público poderá acompanhar palestras e bate-papos com artistas e fotógrafos renomados.

Um dos debates mais esperados será entre os fotógrafos Érico Hiller, João Marcos Rosa e o editor da revista National Geografic Brasil, Ronaldo Ribeiro, no sábado, às 20h no Centro Cultural Yves Alves. Jornalista, Ronaldo Ribeiro atua como editor da tradicional revista desde o início de sua publicação, em 2000. Fotógrafo documental, Érico desenvolve projetos com temáticas humanitárias. João Marcos Rosa iniciou a carreira em 1998, documentando a cultura e a biodiversidade brasileira. Desde 2004, é colaborador regular da National Geographic Brasil. Os três debaterão como a fotografia pode contribuir para a preservação do meio ambiente.

J. R. Duran, Cristina de Middel, Anna Kahn, Joaquim Paiva, Rogério Assis, Alexandre Belém, Mauro Restiffe, Pedro David, Nydia Negromonte, Paula Huven, Renata Marquez, Patrícia Veloso, Inês Bonduki e Rafael Roccato são outros nomes de referência na fotografia contemporânea que falarão dos respectivos trabalhos.

7º FESTIVAL DE FOTOGRAFIA DE TIRADENTES
De hoje a domingo, no Centro Cultural Yves Alves (Rua Direita, 168, Centro Histórico, Tiradentes). Inscrições para as oficinas e informações sobre o festival: clique aqui.

VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE ARTES E LIVROS