Artista plástico Fernando Vignoli morre aos 56 anos

O escultor e pintor mineiro, que enfrentava uma leucemia, morreu em decorrência de septicemia. Velório será realizado nesta quarta-feira (14), no Funeral House

por Estado de Minas 13/12/2016 23:33

 Alexandre Guzanshe/EM/
Pintor e escultor, Vignoli iniciou sua carreira na década de 1980. (foto: Alexandre Guzanshe/EM/)

Morreu na tarde de terça-feira (13) o artista plástico belo-horizontino Fernando Vignoli, de 56 anos, que enfrentava uma leucemia. Internado na Santa Casa de Misericórdia, em Belo Horizonte, ele teve infecção generalizada. 


Pintor e escultor, Vignoli iniciou a carreira na década de 1980. Estudou comunicação visual, era fã do espanhol Salvador Dalí, que exerceu forte influência sobre a obra dele, e também dialogava com a pop arte.

 

Gostava de experimentar, idealizou happenings que ficaram na memória de BH. Vignoli chegou a expor em plena Praça do Papa e a pintar durante um jogo de futebol no Mineirão. Assinou também pinturas na Igreja de Santa Rita de Cássia, no Bairro São Pedro, na Região Centro Sul de Belo Horizonte.


Entre as exposições de Vignoli, chamaram atenção Arte privada, às margens do Rio Arrudas; Canibalismo cultural, com telas em forma de tortas comestíveis; e Banquete surreal, realizada em um casarão do Belvedere, com direito a happening, chefs de cozinha e apresentações de jazz e DJs.

Nos anos 1990, viveu na Europa. Na década de 2000, mudou-se para os Estados Unidos, mas voltou para BH em 2013.

Foi Vignoli quem, em novembro de 1997, concebeu o primeiro cenário do Jornal da Alterosa, telejornal transmitido pela TV Alterosa, afiliada do SBT em Minas Gerais.


Portais, paredes e água eram recorrentes nas pinturas de Vignoli. “Tenho uma técnica particular e já dei aula para mais de três mil pessoas. As paredes têm relação com a minha infância, pois meu pai, que era militar, me punha num quarto fechado quando eu dizia que não seguiria a carreira militar, mas a de artista. Então, ficava olhando para as paredes o tempo todo”, contou ele ao Estado de Minas em 2014.


Pessoa afável, deixou muitos amigos. "Costumava dizer que ele era o homem cordial", afirmou o produtor cultural Afonso Borges, ao lamentar a morte do pintor. PJ, músico da banda Jota Quest, postou no Instagram: "Um dia muito triste... Um superamigo, superartista e um grande... mas muito grande ser humano nos deixou hoje. Com certeza, era um dos maiores pintores de surrealismo do mundo na atualidade. Vá com Deus, maninho".

 

O artista era casado com Jordana Vignoli. "Era um homem que amava a arte e a beleza. É assim que ele gostará de ser lembrado", afirmou ela, na noite dessa terça-feira. "Faremos uma despedida bem bonita para Fernando", disse Jordana. emocionada.


O velório de Vignoli será realizado na quarta-feira (dia 14), das 10h às 16h, na Funeral House (Avenida Afonso Pena, 2.158). O corpo será cremado, conforme desejo do artista plástico, em cerimônia restrita à família.

VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE ARTES E LIVROS