Bob Dylan expõe pinturas em Londres

Ganhador do Prêmio Nobel de Literatura expõe 200 quadros na Inglaterra. Mostra, que reúne trabalhos feitos nos últimos dois anos, retrata lugares dos EUA

por 08/11/2016 08:23

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.

Adrian Dennis/AFP
Ponte de Manhattan, em Nova York, na visão de Bob Dylan (foto: Adrian Dennis/AFP)
Premiado recentemente com o Nobel de Literatura, o cantor e compositor americano Bob Dylan expõe 200 quadros, em Londres, que expressam sua visão dos Estados Unidos. Pintadas nos últimos dois anos, as obras poderão ser vistas até 11 de dezembro na galeria Halcyon, em Mayfair, no Centro da capital britânica.

O conjunto revela uma faceta menos conhecida de Robert Allen Zimmerman, de 75 anos, ícone da música popular americana do século 20. Recentemente, ele causou dupla polêmica: por ganhar o Nobel, em outubro – decisão criticada por parte do mundo literário pelo fato de um escritor não ser contemplado – e por não responder de imediato se aceitaria o prêmio. Porém, na semana passada, o compositor anunciou que viajará a Estocolmo para participar da solenidade do Nobel, marcada para 10 de dezembro.

“É uma grande honra para nós acolher esta exposição no momento em que Dylan recebe esta homenagem”, comentou o diretor da galeria, Paul Green, referindo-se ao Nobel.

A mostra The beaten path retrata as andanças do cantor pelos quatro cantos dos Estados Unidos – das megalópoles às imensas planícies desérticas. “O ponto comum são as paisagens americanas e a maneira como sinto isso cruzando o país”, explicou o artista no texto introdutório da exposição, ressaltando – fiel à sua reputação – que o fez “à margem dos caminhos marcados”.

Em São Francisco, Dylan optou por imortalizar um vendedor de mariscos de Chinatown, em vez das típicas casas vitorianas ou dos arranha-céus. “Esses lugares de Chinatown (...) estão a apenas duas ruas dos edifícios de escritórios sem janelas. Mas essas estruturas gigantescas e frias não têm nenhum sentido para mim no mundo que vejo ou que decido ver”, comenta Dylan.

Outros quadros mostram a ponte de Manhattan, em Nova York, com sua imponente estrutura metálica vislumbrada entre dois blocos de tijolos vermelhos. Ou o motel Roy’s, na famosa Rota 66, em pleno deserto de Mojave, ao qual Dylan deu vida com um traço de pincel que lembra um quadrinho.

Desde a década de 1960, Bob Dylan se dedica às artes visuais. Criador da capa do álbum Music from big pink (1968), do grupo canadense The Band, ele expôs trabalhos recentemente em Nova York e Milão.

BRASIL Em 2010, Dylan exibiu, em Copenhague, uma série de pinturas em acrílico e desenhos inspirados no Brasil. Críticos de jornais dinamarqueses não aprovaram The Brazil series. “Bob Dylan pinta como qualquer amador, utilizando um estilo figurativo um tanto pesado. É o que chamávamos antes um pintor de domingo”, afirmou Peter Brix Soendergaard, professor de história da arte entrevistado pelo jornal Information.

 

VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE ARTES E LIVROS