Após dez anos de proteção policial, escritor italiano desabafa: 'Continuo vivo!'

Roberto Saviano foi ameaçado de morte pela máfia napolitana após publicação, em 2006

por AFP - Agence France-Presse 18/10/2016 17:07

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
ANDREAS SOLARO/AFP
Seu livro 'Gomorra' vendeu 10 milhões de exemplares no mundo todo (foto: ANDREAS SOLARO/AFP)
"Continuo vivo!", disse, em tom de desafio aos mafiosos, o escritor italiano Roberto Saviano, ao cumprir 10 anos vivendo sob proteção policial, em um texto publicado nesta segunda-feira no jornal La Repubblica.

"O que eu gostaria de gritar a eles hoje é: vocês não conseguiram, não conseguiram o que queriam", disse o escritor, de 37 anos.

Saviano vive sob proteção desde que foi ameaçado de morte pela máfia napolitana após a publicação, em 2006, de seu livro Gomorra, que vendeu 10 milhões de exemplares no mundo todo.

"Não parei, não me curvei, mesmo que mais de uma vez tenha me sentido destroçado", confessou ao jornal com o qual colabora assiduamente.

O escritor e jornalista lembrou do dia em 2006, quando recebeu a chamada telefônica de uma autoridade policial que lhe informou que ele iria ficar sob proteção.

Quando foram buscá-lo em sua casa, Saviano perguntou quanto tempo a proteção duraria, e o policial respondeu: "Vários dias, acho".

"Fazer um resumo desses anos é muito difícil. Antes de mais nada, quero expressar minha gratidão aos policiais que me escoltaram todos os dias", disse Saviano. "Tornaram-se uma famíilia, frequentemente foram seus quartéis que me abrigaram", acrescentou.

"Durante esses anos, não só tive que enfrentar a dificuldade de uma vida sob proteção, como também a estupidez dos que falam sem saber de nada", prosseguiu.

VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE ARTES E LIVROS