Lei Rouanet libera R$ 3,5 milhões para mulher de Doria

Artista Bia Doria, casada com o prefeito eleito de São Paulo João Doria, lançou livro e participou de exposição no exterior com parte dos recursos financiados pela Souza Cruz

por Diário de Pernambuco 11/10/2016 11:02

Reprodução Facebook
João Doria e a artista plástica Bia Doria (foto: Reprodução Facebook)

A artista plástica e futura primeira-dama de São Paulo  Bia Doria organizou uma exposição de esculturas de bronze em Miami e lançou um livro sobre seus 10 anos de carreira. Os recursos para ambos os projetos foram captados pela Lei Rouanet, que institui políticas públicas voltadas para a cultura. Desde 2014, Bia conseguiu autorização para arrecadar R$ 3,5 milhões (destinados a financiar também outros projetos próprios), e desse montante já recebeu R$ 702 mil.

A exposição em Miami, formada por 11 esculturas de bronze, ocorreu na feira Art Basel, em 2014, e utilizou R$ 400 mil financiados com incetivo do governo. No caso do livro Bia Doria:Preto no branco, publicado no primeiro semestre de 2016, a receita obtida pela Lei Rouanet foi de R$ 302 mil. O exemplar documenta cerca de 140 obras de Bia e, de acordo com o Sistema de Apoio às Leis de Incentivo à Cultura (Salic), tem por objetivo servir de "referência para estudantes, leitores interessados na arte brasileira, colecionadores que buscam informação e registro documental da artista".

Os recursos com incentivo federal destinados à cultura são repassados por empresas privadas, já que parte dos impostos de renda das companhias podem ser revertidos para ações culturais. No caso de Bia Doria, os R$ 702 mil arrecados foram trasferidos pela Souza Cruz e Weg Equipamentos Eletrônicos S/A.

Além da mostra em Miami e dos recursos para o livro Preto no branco, a futura primeira-dama teve projetos aprovados para uma exposição em Roma, na Basílica de Paulo, no valor de mais de R$ 1 milhão, e para o livro Raízes do Brasil, publicado em 2014, todos com recursos captados pela Lei Rouanet.

Bia Doria é esposa do futuro prefeito de São Paulo João Doria, eleito nas votações desse ano. As empresas que destinaram recursos para a arte de Bia fazem parte do grupo Lide, associação criada,em 2003, e presidida pelo prefeito eleito com o objetivo de fortalecer "livre iniciativa do desenvolvimento econômico e social". 

VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE ARTES E LIVROS