Orquestra de Câmara Sesiminas convida maestro Marcelo Ramos em concerto gratuito, no Teatro Sesiminas

DATA

  • 19/10/2016 à 19/10/2016
  • Hora início: 20:00
  • Hora fim: 22:00

LOCAL / INFO

PREÇOS

  • Entrada Franca

ORQUESTRA DE CÂMARA SESIMINAS CONVIDA MAESTRO MARCELO RAMOS EM CONCERTO GRATUITO NO TEATRO SESIMINAS

 

A Orquestra de Câmara SESIMINAS convida o maestro Marcelo Ramos no Sempre às Quartas do dia 19 de outubro, às 20h, com entrada gratuita. Os ingressos poderão ser retirados na bilheteria do Teatro, no dia do evento, até 30 minutos antes do horário de início do concerto.

O programa do concerto tem início com Alma Brasileira, de Villa-Lobos. Trata-se de uma transcrição para cordas do compositor Mateus Araújo, residente no Rio de Janeiro. Escrita em 1925, para piano solo, a obra integra a série Choros, do autor carioca, sendo esta a de número 5. Em seguida, a Orquestra interpreta o Concerto em Ré, de Igor Stravinsky. Composta em 1946, a obra foi escrita para celebrar os 20 anos da Orquestra de Câmara de Basel, que a estreou no ano seguinte. Trata-se de uma peça que exige da Orquestra grande virtuosismo, demandando dos músicos elevado nível de preparo técnico. Completando o programa, a Orquestra executa Serenata em Mi Menor, do compositor tcheco Antonin Dvorak. A obra configura-se como um dos mais notáveis trabalhos do compositor e teve a sua estreia em 1876, época em que Dvorak vivia uma grande fase de sua vida pessoal e profissional. Foi o momento em que os românticos resgataram a composição dedicada às cordas, como fizeram os seus antecessores clássicos e barrocos. Além de Dvorak, o norueguês Edward Grieg, o russo Tchaikowsky e o polonês Karlowicz dedicaram páginas a este maravilhoso conjunto, a orquestra de arcos.

 O maestro convidado Marcelo Ramos

Marcelo Ramos é atualmente professor da Escola de Música da UFMG. Atuou como maestro titular da Orquestra Sinfônica de Minas Gerais por nove anos em duas gestões, onde demonstrou flexibilidade em várias frentes de repertório que incluem música sinfônica, ópera e música popular.

Graduou-se mestre em regência orquestral pelo Cleveland Institute of Music (EUA), onde estudou sob orientação de Carl Topilow em 2010, e doutor em regência orquestral na Ball State University (Indiana) em 2014. Com bolsa integral da Ball State University e da CAPES, Marcelo dirigiu concertos sinfônicos e óperas como Dido e Enéas (Purcell), Così fan tutte, O Empresário (Mozart), Suor Angelica (Puccini) e O Elixir do amor (Donizetti). O tema de sua dissertação foi a Sinfonia No. 2 'Brasília' de Guerra-Peixe: análise e edição de performance, cujo resultado foi uma edição revisada da obra.

Durante o período de mestrado, Marcelo foi também maestro assistente da Cleveland Pops Orchestra além de participar de masterclasses com Michael Tilson Thomas, Kenneth Kiesler, Kurt Masur, David Loebel, Ronald Zollman e Alexander Polistchuk. No Brasil, estudou regência com Eleazar de Carvalho e Dante Anzolini.

Participou de importantes workshops nos EUA - com a Sinfônica de Baltimore tendo Marin Alsop e Gustav Meier como instrutores em 2012, e no Aspen Music Festival em 2010, com Robert Spano, Larry Rachleff, Hans Graf e Hugh Wolff.

Como regente convidado dirigiu as orquestras sinfônicas de Santa Fé e Salta na Argentina, Sinfônica da UFRJ, a Orquestra Experimental de Repertório (SP), Sinfônica do Teatro Municipal do Rio de Janeiro, OSB Ópera e Repertório, Sinfônica do Espírito Santo, Orquestra Sinfônica Nacional UFF, Orquestra Petrobrás Sinfônica (RJ), Orquestra Sinfônica da USP, Sinfônica de Porto Alegre, Orquestra do Teatro Nacional de Brasília, Sinfônica de Ribeirão Preto, Sinfônica da Bahia, Sinfônica de Campinas, Jazz Sinfônica do Estado de SP, Amazonas Filarmônica, Orquestra de Câmara SESIMINAS, Camerata São Petesburgo e Camerata Fukuda, além das séries de música de câmara da OSESP e do Municipal de SP. Em 2016 fez sua estreia no Teatro Colón de Buenos Aires com sua Orquestra Acadêmica.   

Marcelo é também arranjador de MPB e revisor musical. Fez arranjos para concertos com Zé Miguel Wisnik, Luiz Melodia, Milton Nascimento, Gal Costa, Rosa Passos, João Bosco, Lenine, Ivan Lins e Elba Ramalho.

 

Sobre a Orquestra de Câmara SESIMINAS          

Criada em Belo Horizonte, em 1986, pelo então presidente da Federação das Indústrias do Estado de Minas Gerais (Fiemg), Nansen Araujo, a Orquestra de Câmara SESIMINAS, sob a regência do fundador e titular maestro Marco Antônio Maia Drumond, caracteriza-se, principalmente, pelos concertos de cunho didático, com a finalidade maior de levar, ao industriário &ndash seu público-alvo &ndash, o repertório camerístico de boa qualidade.   

Ao longo de sua existência, a Orquestra tem ampliado seu espaço musical, ao atuar na área da música popular e erudita brasileira, executando Tom Jobim, Pixinguinha, Villa-Lobos, Cláudio Santoro, entre outros. Com o objetivo de trabalhar para a formação de um público atuante e participativo, fortalecendo e elevando o padrão cultural da população, realiza várias apresentações em galpões, pátios de empresas, escolas e canteiros de obras, tornando a cultura musical acessível a todos os segmentos da sociedade.    

A Orquestra também faz apresentações nas principais salas de concertos e teatros de Minas Gerais, entre elas, o Palácio das Artes, Teatro Sesiminas (sua sede), Teatro Pró-Música e Cine Teatro Central de Juiz de Fora, Teatro Municipal de Ouro Preto e Teatro Sesiminas de Mariana. Fora do estado, apresentou-se no Festival de Inverno de Campos (RJ) e em Natal (RN).

Outro destaque é a excelência de suas apresentações, com a participação de solistas internacionais convidados, dentre os quais, destacam-se os violinistas Paulo Bosísio, Cláudio Cruz, Maiuccia Iacovino, Leopold LaFosse e Vadim Brodsky, o pianista Nelson Freire, o duo Assad, o violoncelista Antônio Menezes, o violista Horácio Schaffer e o regente polonês Jaroslaw Lipke. Em 2013, a Orquestra realizou turnê com o pianista Arthur Moreira Lima por 10 cidades mineiras, além de apresentações com a banda Jota Quest e Skank, por ocasião das comemorações dos 80 anos da Fiemg.           

A Orquestra de Câmara SESIMINAS tem se firmado como conjunto de alta qualidade artística, com uma média de 40 concertos anuais.

 

SERVIÇO

Orquestra de Câmara SESIMINAS convida maestro Marcelo Ramos

19 de outubro (quarta-feira) - 20h

Teatro SESIMINAS  &ndash Rua Padre Marinho, 60 - Santa Efigênia &ndash BH-MG

 

Marcelo Ramos, regente convidado

 

VILLA-LOBOS       Alma Brasileira (Choros nº 5)

STRAVINSKY        Concerto em Ré (Basel)

DVORAK               Serenata em Mi Menor, opus 22, para orquestra de cordas


A entrada é gratuita. Os ingressos podem ser retirados na bilheteria do Teatro SESIMINAS, no dia do evento, até 30 minutos antes do início do concerto.

* Sujeito a lotação do espaço (619 lugares)

Mais Informações: 3241-7181 / www.centroculturalsesiminasbh.com.br

www.centroculturalsesiminasbh.com.br

+EVENTOS

Eventos

VÍDEOS RECOMENDADOS