Apenas uma sanguessuga

DATA

  • 07/09/2016 à 29/09/2016
  • Hora início: 20:30
  • Hora fim: 21:40

LOCAL / INFO

PREÇOS

  • Promocional - Sinparc:15,00
    Meia entrada:20,00
    Inteira:40,00
  • Consumação: 20

 APENAS UM SANGUESSUGA

Suspense e Sátira política / Classificação: 12 anos / Duração: 65 minutos

Teatro Francisco Nunes (Avenida Afonso Pena, s/nº &ndash Parque Municipal &ndash Tel: 3277-6325)

Quartas e Quintas às 20h30 &ndash de 07 a 29 de setembro

Ingressos: R$15 no Mercado das Flores (preço único) ou em www.vaaoteatromg.com.br* R$20 (meia) e R$40 (inteira) na bilheteria** do teatro.

*Sujeito a taxa de conveniência. **A bilheteria do Francisco Nunes abre uma hora antes das apresentações.

APENAS UM SANGUESSUGA

Uma jornalista, uma motivação pessoal, uma entrevista. Uma figura pública, seu gosto por mulheres, histórias que parecem lendas. Está montada a trama de suspense, humor e crítica do novo espetáculo de Ricardo Batista. Reportagem ou investigação? Um político corrupto ou um vampiro ardiloso? Brincando com estes mistérios, a peça conduz o espectador a um jogo de presa e predador de forma inusitada e surpreendente.

Em um antigo casarão, nas redondezas de uma vila afastada da cidade grande, vive Brasílio (Ricardo Batista), um sujeito excêntrico e obscuro, que já foi bastante poderoso, mas após muitas polêmicas, optou por se isolar de tudo e de todos e ganhou uma fama bastante amedrontadora. Linda (Fernanda Botelho), uma jovem e determinada jornalista, intrigada com as histórias que envolvem Brasílio, decide ir até lá para entrevistá-lo (ou seria para investigá-lo?). Mas, o que deveria ser apenas um encontro profissional, acaba se tornando mais estranho e desafiador do que ela imaginava.

"Apenas um sanguessuga" é um espetáculo atemporal que fala sobre poder, ética e comportamento. O poder que há no jogo político, nas relações e no discurso. O debate entre os personagens é carregado de uma simbologia que não revela as intenções com clareza, mas as sugere. Enquanto os diálogos propõem uma entrevista com um velho político enigmático e influente, a ação, carregada de mistério, caminha para uma história entre a mocinha e um ser maligno. A persuasão de argumentos que defendem lados opostos, recheados de sarcasmo, instaura o clima de tensão, quase sempre quebrado pelo humor, provocando o espectador a desvendar o que, de fato, deseja cada elemento da trama.

Nas entrelinhas

Os personagens representam a figura do explorador e do explorado, daquele que "quer sugar" e daquele que "é sugado", fazendo uma alusão ao vampiro e ao político corrupto. No entanto, no decorrer da história, a dicotomia entre o bem e o mal é desconstruída. A figura do homem "todo poderoso" é desbancada pela fragilidade de um sujeito decadente e solitário, assim como a figura da "mocinha indefesa" é subvertida pela jovem inteligente que não se submete ao domínio e busca a verdade. O espetáculo procura causar uma discussão sobre os pares de opostos (a força e a fragilidade, o certo e o errado, a presa e o caçador) para incitar uma reflexão sobre a política atual no Brasil e o comportamento do brasileiro.

* Ficha técnica:

TEXTO e DIREÇÃO: Ricardo Batista

ELENCO: Fernanda Botelho e Ricardo Batista.

CENÁRIO: Ricardo Batista

ADEREÇO: Jacó do Nascimento

FIGURINOS: Ricca

COSTUREIRA: Renata Matias

ILUMINAÇÃO: Marina Arthuzzi

VIDEOMAKER: Daniel Veloso

TRILHA SONORA ORIGINAL: Leo Correia

OPERADOR DE SOM E VÍDEO: Argemiro da Silva

PROGRAMAÇÃO VISUAL: Márcio Miranda e Samuel Araújo

REALIZAÇÃO: Canastra Real

 

* O Grupo:

Fundado em 1985, o Canastra Real é um grupo formado por seu criador, Ricardo Batista (Cadinho) e Fernanda Botelho, além de parceiros como o figurinista Ricca e o arranjador e instrumentista Leo Correia.

Cadinho é um experiente ator, com mais de 40 anos de carreira, além de locutor, diretor (de teatro, TV e vídeo), autor, iluminador, cenógrafo e produtor cultural. Seus trabalhos de maior sucesso no teatro são &ldquoUm Casal Aberto&rdquo, &ldquoChio Ruim e Zé Cruel&rdquo, &ldquoCoisa de Doido&rdquo e &ldquoDefunto Bom é Defunto Morto&rdquo.

Fernanda Botelho iniciou sua parceria com Cadinho no grupo em 2005. Atriz, produtora cultural, jornalista e publicitária, acumula 21 espetáculos em seu currículo em mais de 15 anos de carreira nos palcos. Dentre as infantis, destacam-se &ldquoPipoca & Batatinha em: Quando um não quer, dois não brigam!&rdquo, &ldquoA Comédia das Fadas Feias&rdquo e &ldquoPipoca & Batatinha em: Tá nervoso? Vai pescar!&rdquo que lhe renderam três indicações ao Prêmio Usiminas/Sinparc de melhor atriz, além do musical "Os Saltimbancos", do diretor Carlos Gradim. Seus principais trabalhos teatrais para adultos foram &ldquoA Casa de Bernarda Alba&rdquo, com o Grupo Oficcina Multimedia, &ldquoA Tocaia&rdquo e "Lisbela e o Prisioneiro".

O grupo tem como característica produzir espetáculos originais, com uma linguagem cênica que proporcione ao público um produto cultural com o qual possa se identificar e refletir sobre o mundo contemporâneo. Profissionais conectados a esta filosofia e que tragam novidades ao processo criativo são convidados a cada nova produção. É o caso de Daniel Veloso no audiovisual e Marina Arthuzzi na iluminação cênica de "Apenas um sanguessuga".

Informações:

 

Fernanda Botelho: (31) 99157-9160 / 3055-3362 / canastrarealproducoes@gmail.com

 

http://www.canastrarealproducoes.com.br/

+EVENTOS

Eventos

VÍDEOS RECOMENDADOS